Estado

Foto: Divulgação Conferência vai discutir situação dos quilombolas do Estado Conferência vai discutir situação dos quilombolas do Estado

O município de Paranã vai sediar no dia 22 de junho a etapa regional da Conferência de Promoção da Igualdade Racial da região sudeste.As inscrições já estão abertas. O evento vai contar com a participação de representantes de 27 municípios da região e é organizado pela prefeitura em parceria com entidades e o Estado. A Feira Coberta da Cidade vai sediar o evento.

O tema central da Conferência é  “Democracia e Desenvolvimento: Por um Brasil Afirmativo" mas diversos assuntos locais como a situação das comunidades quilombolas serão discutidos.No final do evento serão eleitos os delegados que participarão da III Conferência Nacional de Promoção da Igualdade Racial.

Para o prefeito da cidade, Edson Lustosa, este é um fato inédito na história da cidade. Segundo ele, o município tem a honra e responsabilidade de sediar a primeira etapa da conferência. “Paranã ostenta o fato de ser a única cidade de pequeno porte nas regiões Centro-Oeste e Norte do Brasil a realizar uma conferência de promoção da Igualdade Racial”, disse.

"A programação oferecerá um conteúdo simples e informativo. Sinto-me privilegiado pela oportunidade de poder servir o povo da cidade onde cresci como o primeiro e único Secretário de Igualdade Racial do Estado do Tocantins," afirma Enedino Benevides Neto, Secretário de Igualdade Racial do município. Paranã é a única cidade do Estado que tem uma secretaria específica voltada para a temática.

Em Paranã há apenas uma comunidade reconhecida pela Fundação Palmares : a Kalunga do Albino mas outras quatro já foram identificadas pela atual administração.

Palestrantes

O evento contará com a participação de Nuno Coelho,Coordenador Geral dos APNs -Agentes da Pastoral Negra do Brasil e Assessor da Fundação Cultural Palmares bem como do Professor, Coordenador Pedagógico, Historiador e Escritor, Maximiano Santos Bezerra.

Participam também da programação, Maria Luiza Barbosa da Silva que é professora, Coordenadora do Instituto Arte Afro de Direitos Humanos e APNs bem como o Assessor Afrodescendentes do Estado, Professor, Historiador, Especialista em História Africana e cultura do negro no Brasil, André Luiz Gomes da Silva.

Maria Aparecida Matos, Professora da Universidade Federal do Tocantins (campus de Arraias-TO), atuante no movimento em prol da mulher negra e Cleusa S. Benevides Bezerra, escritora, membra da Academia Tocantinense de Letras também constam como palestrantes na programação.