Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual Eli Borges (Pros) confirmou ao Conexão Tocantins que está em conversação com a direção nacional da legenda para assumir o comando do partido no Tocantins. A movimentação ocorre após a saída do senador Ataídes Oliveira que deixou o partido e assumiu o comando do PSDB no Estado. “ Estou em fase de conversação com a direção nacional e a definição sai qualquer hora”, disse.

O parlamentar da oposição é um dos que defende que o orçamento do próximo ano seja votado apenas em janeiro quando o governador eleito Marcelo Miranda assumir. “É natural que o próximo governo envie a matéria, ele é que tem que fundamentar essa questão financeira, é uma questão natural”, disse.

Os parlamentares não estão comparecendo ás sessões e a falta de quórum tem impedido a votação dos projetos do governador Sandoval Cardoso que encaminhou várias Medidas provisórias que tratam, inclusive, de benefícios para categorias. “Acho que esse atual governo está mais preocupado em prejudicar o próximo do que em salvar o Estado”, disse o deputado.

Eli disse que é uma irresponsabilidade da atual gestão encaminhar projetos de impacto financeiro quase todos os dias. “O governo que perdeu a eleição não deve mandar nada para inviabilizar o novo governo afinal estamos falando é do Estado como um todo”, frisou.

Além de Eli o próprio presidente da Comissão de Finanças, José Augusto Pugliese (PMDB) defende que a peça seja votada apenas com participação e sugestão da próxima gestão que vai executar a peça orçamentária. Ele frisou que não tem explicações o atual governo não ter ainda encaminhado o orçamento. “ A obrigação deles era no mês de novembro”, disse ao Conexão Tocantins nesta quinta-feira.

O petista José Roberto Forzani lembrou a reforma administrativa que está sendo preparada pelo novo governador. “É mais adequado o orçamento ser votado no próximo ano por causa da reforma. Como é que vai ficar depois se vai ter menos secretarias e se muitas pastas não vai existir mais?”, argumentou.

Ele negou que exista um acordo entre a oposição para obstruir as matérias. Revoltados com a ausência dos deputados em plenário, servidores do Ruraltins, Adapec e Itertins chegaram a protestar esta semana pedindo que seja votado o Plano de Carreira destas categorias porém os deputados estão temerosos em votar tendo em vista a situação do Estado. “ Ninguém está à vontade para votar, nem a base. Todos estamos vendo a situação”, frisou.

O Conexão Tocantins tentou ouvir vários deputados da base sobre o assunto mas não conseguiu. O líder do governo, Wanderlei Barbosa (SD) também não foi encontrado para comentar o atraso no envio do orçamento.

O governo informou que não tem data ainda prevista para encaminhar a peça orçamentária.

O recesso parlamentar está previsto para começar dia 30.