Estado

Foto: Divulgação

O Ministério do Turismo atualizou a categorização dos municípios que compõem o Mapa do Turismo Brasileiro. Esse instrumento é importante para acompanhar o desempenho da economia do turismo nos municípios e serve também como balizador de políticas do setor e direcionamento de verbas federais. De acordo com a nova categorização, três municípios de Tocantins tiveram crescimento econômico pelo setor - Araguatins, Aurora do Tocantins e Lajeado – seja por terem aumentado o número de empregos através do turismo, ampliado os estabelecimentos formais de hospedagem ou o fluxo de turistas domésticos e internacionais.

“A melhoria na classificação de destinos como Araguatins, Aurora do Tocantins e Lajeado mostra que nossos municípios têm trabalhado cada vez mais para fortalecer a atividade turística. No que diz respeito ao Ministério do Turismo estamos atentos às demandas do setor como melhoria de infraestrutura, legalização e qualificação dos serviços”, avaliou o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

Por outro lado, o município de Brejinho de Nazaré teve redução de categoria. Importante ressaltar que a categorização é um processo dinâmico e perene que, assim como o Mapa do Turismo Brasileiro, deverá ser atualizado e aperfeiçoado periodicamente. Assim, se um município teve seu fluxo turístico e seus estabelecimentos formais de hospedagem ampliados, provavelmente, na próxima edição da categorização, quando os dados dele serão novamente considerados, ele poderá mudar de categoria.

Apoio do MTUR

Segundo portaria 39/2017 do MTur, somente municípios classificados entre ‘A’ e ‘D’ podem pleitear apoio a eventos geradores de fluxo turístico. De acordo com a nova categorização, a cidade de Araguatins passa agora a poder contar com até R$ 400 mil por ano para realização de festejos, enquanto Aurora do Tocantins e Lajeado com R$ 150 mil cada.

Com a atualização, Brejinho de Nazaré está temporariamente de fora da lista dos municípios aptos a receber recursos do governo federal para este fim.

Todos os municípios – de A a E -, estão aptos a pleitear recursos de infraestrutura, como construção de estradas e rodovias de interesse turístico; de orlas e terminais fluviais, lacustres ou marítimos; reforma de terminais rodoviários intermunicipais e interestaduais, de aeroportos, de ferrovias e estações férreas de interesse turístico; sinalização turística, entre outros.