Cultura

Nesta segunda-feira (5), às 19h, será inaugurada a exposição Cerrado Urbano, do grafiteiro Bruno Cacuda, no Câmpus de Palmas/TO. Esta é a primeira exposição individual do artista, que integra o Zero63 crew, coletivo de artistas de rua de Palmas. A exposição poderá ser visitada até 29 de março na Universidade Federal do Tocantins (UFT), pelo Programa Corredor Cultural, promovido pela Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários (Proex) no hall do Bloco IV (Bloco da Reitoria)

Para quem já conhece os trabalhos feitos pelo artista na rua, diferentemente da urgência das ruas, as telas da exposição "são mais galeria", nas palavras de Cacuda. "A raiz do grafite é o protesto e é na rua. Então, para uma exposição, senti a necessidade de ressignificar o grafite como arte. Essa exposição rompe barreiras para mim. Achei que eu não conseguiria pintar sem ser na rua".

Paulistano de nascimento e morador de Palmas desde 2013, Cacuda explica que, por ser fruto das suas experiências de quem vive no "cerrado urbano", o trabalho da exposição é mais autoral, mais poético e mais elaborado. "São coisas que vivi, que eu vejo ou que aprendi dolorosamente. Outras coisas são pequenas satisfações e outras são pensamentos. Então é um resumo do que vivi aqui (em Palmas). São coisas que não consigo fazer na rua".

O artista afirma que o dinheiro da venda das telas da exposição será utilizado para custear sua ida para o festival internacional de grafite Street of Styles, que ocorre em Curitiba no mês de abril. Cacuda é o único representante tocantinense no evento.