Campo

Foto: Divulgação Adapec

Produtores rurais proprietários de bezerras bovinas e bubalinas, entre 3 a 8 meses de idade que ainda não vacinaram este ano contra a brucelose, devem ficar atentos ao fim do prazo da primeira etapa de vacinação que encerra nesse sábado, 30. Após a vacinação, o produtor deve se dirigir ao escritório da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec) onde realiza a movimentação do rebanho e declarar a vacina, mediante apresentação da nota fiscal do produto e atestado de vacinação. O prazo para declaração é até o dia 10 de julho.

A responsável técnica pelo Programa Estadual de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose (PECEBT), Carolina Silveira Ozorio Ribeiro disse que a vacinação contra a brucelose é obrigatória e, no Tocantins, as bovídeas entre 3 e 8 meses devem ser vacinadas com a vacina Cepa B19.

“O produtor que deixar de vacinar pagará multa no valor de R$ 5,32 por animal não vacinado e R$ 127,69 pela não declaração. Além disso, a ficha de movimentação do rebanho ficará bloqueada para a emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA) até a regularização”, disse Carolina, acrescentando que a vacinação contra a brucelose só deve ser feita por médico veterinário ou auxiliar de vacinador devidamente cadastrado na Agência.

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha reforçou o convite aos produtores rurais para efetivar a vacinação das bovídeas contra a brucelose. “O Tocantins vem batendo a cada ano, recordes na vacinação contra brucelose, isso demonstra o compromisso dos produtores rurais para o controle e erradicação desta zoonose, mais queremos reforçar este pedido para aqueles que ainda não vacinaram suas bezerras para que façam antes do fim deste período que se encerra neste sábado”, enfatizou o presidente.

Por: Redação

Tags: Adapec, Alberto Mendes da Rocha, campo