Saúde

Foto: Arquivo/Agência Brasil Mosquito conhecido como mosquito-palha, parasita da Leishmaniose Mosquito conhecido como mosquito-palha, parasita da Leishmaniose

Atividades educativas, testes rápidos, exposições, gincanas, distribuição de material informativo e lançamentos de cursos fazem parte da Semana Nacional de Controle e Combate à Leishmaniose, que acontece de 6 a 10 deste mês. As ações contam com parceria das Secretarias Municipais de Saúde e devem acontecer em todos os municípios do Estado.

Segundo o assessor técnico da área das Leishmanioses, o biólogo Julio Gomes Bigeli, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) já repassou todas as informações e iniciou a distribuição dos materiais necessários aos municípios, para que possam desenvolver as atividades durante a semana. “Encaminhamos ofícios de às Secretarias Municipais de Saúde, para sensibilização das equipes e definição das estratégias para atuação durante a semana e também solicitando a regularização dos bancos municipais do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Além disso, produzimos e iniciamos a distribuição de cartazes para todas as Unidades de Saúde dos 139 municípios do Estado com enfoque na suspeita precoce dos casos, além de material informativo destinado à sensibilização da comunidade”, destacou.

Ainda segundo Julio, a participação e envolvimento de toda sociedade “é muito importante, considerando o ciclo de transmissão da doença e suas formas de prevenção, que passam pela destinação adequada do lixo orgânico, como folhas, fezes de animais e restos de alimentos, limpeza dos quintais e abrigos de animais de estimação, poda de árvores para que se aumente a incidência de sol nos quintais, além de se evitar a criação de galinhas na zona urbana. Quando observamos os dados, a doença mostra sua relevância no Tocantins. De janeiro a junho deste ano, já foram notificados 107 novos casos de Leishmaniose Visceral Humana e um óbito confirmado pela doença. No mesmo período, acorreram 103 novos casos de Leishmaniose Tegumentar, sem óbitos confirmados”, informou.

Leishmaniose Visceral

A Leishmaniose Visceral é uma doença infecciosa sistêmica, caracterizada por febre de longa duração, aumento do fígado e baço, perda de peso, fraqueza, redução da força muscular, anemia e outras manifestações.

Leishmaniose Tegumentar

A Leishmaniose Tegumentar Americana (LTA) é uma doença infecciosa, não contagiosa, que provoca úlceras na pele e mucosas. A doença é causada por protozoários do gênero Leishmania.

Os sintomas são lesões na pele e/ou mucosas. As lesões de pele podem ser única, múltiplas, disseminada ou difusa. Elas apresentam aspecto de úlceras, com bordas elevadas e fundo granuloso, geralmente indolor. As lesões mucosas são mais frequentes no nariz, boca e garganta. Quando atingem o nariz, podem ocorrer entupimentos, sangramentos, coriza e aparecimento de crostas e feridas. Na garganta, os sintomas são dor ao engolir, rouquidão e tosse.

Programação

07/08 – 08h30 às 12h00: Atividades educativas no CEMIL Professora Margarida Lemos (exibição de vídeos, palestra, exposição entomológica e gincana);

08/08 – 17h00 às 22h00: Mobilização social no Ginásio Airton Senna em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Palmas (realização de testes rápidos de LV canina, vacinação antirrábica, exposição entomológica e distribuição de material informativo);

09/08 – 17h00 às 22h00: Mobilização social na Praça dos Povos Indígenas em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde de Palmas (realização de testes rápidos de LV canina, vacinação antirrábica, exposição entomológica e distribuição de material informativo);

10/08 –  08h00 às 12h00: Lançamento oficial do curso “8 Toques para a Leishmaniose” (módulo presencial com médicos e enfermeiros da Secretaria Municipal de Saúde de Palmas; lançamento do Módulo de ensino à distância (EAD)).