Polí­cia

Foto: Divulgação

A Polícia Civil do Tocantins, por intermédio da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP - Palmas), efetuou na tarde desta última terça-feira (2), a prisão de Wesla N. das N., vulgo “Indinha”, de 29 anos de idade. Ela é suspeita da prática do crime de homicídio e foi capturada, por policiais civis da DHPP, com apoio de agentes da 3ª Delegacia de Polícia de Palmas, mediante cumprimento a mandado de prisão preventiva.

Conforme o delegado titular da DHPP, Guido Camilo Ribeiro, as investigações apontaram que, no último dia 12 de agosto, Wesla assassinou com um golpe de faca, a vítima Sidney Rodrigues, de 39 anos de idade. O crime ocorreu na Quadra 407 Norte, às margens do Rodoanel, local habitado por vários moradores em situação de rua.

Indinha, que tem passagem pela polícia por furto e lesão corporal, alegou em seu depoimento que matou Sidney porque havia sido assediada por ele. Após ser atingida pela facada, a vítima ainda chegou a ser socorrida para o hospital, mas devido à gravidade dos ferimentos, não resistiu e veio á óbito minutos depois.

Logo após o crime, os policiais civis passaram a investigar e descobriram que Wesla era a autora do homicídio. Desta maneira, o delegado Guido Camilo representou, junto ao Poder Judiciário, pela prisão da mulher, a qual foi deferida. No entanto, desde a época dos fatos, a suspeita permanecia foragida, mas graças ao trabalho investigativo dos agentes da DHPP, com apoio de Policiais civis da 3ª DP, o paradeiro da mulher foi descoberto e, desse modo, a mesma foi presa.

Após ser capturada, Indinha foi conduzida à sede da DHPP e, após a realização das providências legais cabíveis, foi recolhida à carceragem da unidade prisional feminina da Capital, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Para o delegado Guido Camilo, além do fato de desvendar o homicídio de Sidney e prender a autora do crime, um dos fatores mais importantes da ação foi a integração e a troca de informações entre as equipes de ambas as delegacias, assim como a celeridade do Poder Judiciário e o grande respaldo que a Polícia Civil tem encontrado no Ministério Público Estadual, de fundamental importância para que a Polícia Civil seja ainda mais eficaz em suas ações", ressaltou, ainda, o delegado.