Estado

Foto: Emerson Silva

O Governo do Estado informou na tarde desta quarta-feira, 10, detalhes sobre o Decreto nº 5.863, de 27 de setembro de 2018, que estabelece o contingenciamento de despesas do orçamento anual para o exercício de 2018.

Todas as ações planejadas, já iniciadas e licitadas continuarão sendo executadas normalmente e não haverá qualquer prejuízo para os serviços essenciais como Saúde, Educação, Segurança Pública e Infraestrutura e demais áreas, segundo a informação oficial.

Segundo a nota do Governo, o contingenciamento nada mais é do que uma medida de equilíbrio fiscal, já que o Orçamento de 2018 foi implementado pela gestão passada, que estimou uma arrecadação que não se efetivou e, por isso, a necessidade do contingenciamento para que o Estado não apresente déficit ao fim do exercício fiscal.

Ainda segundo a informação governamental, a atual gestão recebeu as contas do Estado em desequilíbrio além de desenquadradas perante a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), mas os trabalhos que estão sendo desenvolvidos pela gestão atual já estariam apresentando resultados. Segundo o Governo, o Relatório de Gestão Fiscal e Execuções Orçamentárias do 2° quadrimestre de 2018 indica, em um comparativo com o 1° quadrimestre deste ano, que os gastos com pagamento de servidores caíram 3,8%, gerando uma economia de R$ 161 milhões aos cofres do Estado, de maio a agosto de 2018.

Já com relação à manutenção da máquina pública, o Governo informa que foram reduzidos os gastos em despesas com água, energia elétrica, contratação de terceiros, diárias pagas a servidores, passagens aéreas, materiais administrativos, dentre outros.

Com as medidas de contenção de gastos e ajustes fiscais, o Governo trabalha objetivando a meta de equilibrar as despesas no primeiro quadrimestre de 2019, visando o Tocantins dentro dos limites de gastos estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).