Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Saúde

Foto: Divulgação

O terceiro sábado de outubro de cada ano é dedicado para mobilizações do dia Nacional de Combate à Sífilis e a Sífilis Congênita. Este ano o slogan da campanha é #sífilisnão - Teste/Trate/Cure - você pode ter e não saber. O objetivo é alcançar a maior parte da população, promovendo sua divulgação nos meios de comunicação e incentivando os municípios a realizarem testes rápidos e ações de mobilização.

Neste contexto a Secretaria de Estado da Saúde (SES), pretende estimular a participação dos profissionais e gestores de saúde nas atividades, com vistas a enfatizar a importância do diagnóstico e do tratamento adequado da Sífilis na gestante, durante o pré-natal, e da Sífilis em ambos os sexos como infecção sexualmente transmissível, podendo ser realizadas ações de orientação e prevenção durante todo o mês de outubro.

A campanha visa alertar a população para a gravidade da doença, formas de prevenção e tratamento, buscando enfocar públicos alvo, populações chaves.

Dados

De 2014 ao ano passado, 1.025 gestantes foram notificadas com sífilis no Tocantins, somente no ano passado, 1.158 pessoas foram notificada com sífilis adquirida e 288 com sífilis congênita, aquela transmitida de mãe para filho.

Teste rápido

Além da prevenção à Sífilis, a campanha também aproveita para divulgar a acessibilidade aos testes rápidos em locais mais próximos do usuário na rede pública de saúde, na qual o Estado vem promovendo a formação de novos profissionais habilitados nos municípios para realização da técnica que permite, tanto o diagnóstico como a avaliação para sífilis nas Unidades Básicas de Saúde.

Os testes rápidos estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde da maioria dos municípios do Estado e nos Serviços de Assistência Especializada – SAE (Araguaína, Palmas, Paraíso do Tocantins, Porto Nacional e Gurupi), Centros de Testagem e Aconselhamento – CTA (Araguaína e Palmas).

As ações da campanha estão pautadas no incentivo aos municípios a ofertarem testes-rápidos à população, distribuição massiva de preservativos, e atividades educativas e da propaganda midiática e redes sociais, devido à grande mobilização e poder de alcance que esta modalidade de comunicação possui, acreditamos com isso chamar a atenção da sociedade para a Campanha do Dia Nacional Combate à sífilis.

A doença

A sífilis é uma doença infecciosa causada pela bactéria Treponema pallidum. Podem se manifestar em três estágios. Os maiores sintomas ocorrem nas duas primeiras fases, período em que a doença é mais contagiosa. O terceiro estágio pode não apresentar sintoma e, por isso, dá a falsa impressão de cura da doença.

Todas as pessoas sexualmente ativas devem realizar o teste para diagnosticar a sífilis, principalmente as gestantes, pois a sífilis congênita pode causar aborto, má formação do feto e/ou morte ao nascer. O teste deve ser feito na 1ª consulta do pré-natal, no 3º trimestre da gestação e no momento do parto (independentemente de exames anteriores). O cuidado também deve ser especial durante o parto para evitar sequelas no bebê, como cegueira, surdez e deficiência mental.

Tratamento

Quando a sífilis é detectada, o tratamento deve ser indicado por um profissional da saúde e iniciado o mais rápido possível. Os parceiros também precisam fazer o teste e ser tratados, para evitar uma nova infecção da mulher. No caso das gestantes, é muito importante que o tratamento seja feito com a penicilina, pois é o único medicamento capaz de tratar a mãe e o bebê. Com qualquer outro remédio, o bebê não estará sendo tratado. Se ele tiver sífilis congênita, necessita ficar internado para tratamento por 10 dias. O parceiro também deverá receber tratamento para evitar a reinfecção da gestante e a internação do bebê.