Polí­cia

Foto: PM /TO

A Polícia Militar do Estado do Tocantins, através do Comando de Operações Especiais (COE), da Companhia Independente de Operações Especiais (CIOE), nesse sábado, 11, fez a prisão de foragido da justiça após realizar abordagem na rodovia que liga Palmas a Lajeado. Na ação foram apreendidos mais de R$ 3 mil em espécie, aparelhos celulares e documentação falsa. 

A equipe da PM recebeu informações oriundas da Agencia Brasileira de Inteligência (Abin), sobre a possibilidade de um foragido da justiça do Estado do Acre estar transitando pelo Estado do Tocantins, reconhecido como principal liderança de facção criminosa, respondendo pelos crimes de latrocínio, roubo e tráfico internacional de armas e drogas.

Na manhã de sábado, 11, a equipe do COE abordou uma hilux vermelha, placa QEW-1380, Redenção-PA, na saída de Palmas-TO rumo a Lajeado-TO, na rodovia TO-010, onde havia no veículo cinco ocupantes, sendo dois homens, uma mulher e duas crianças. 

O suspeito apresentou uma documentação falsa (CNH) com sua foto e nome falsos. Diante dos documentos, foi realizada comparação das tatuagens do suspeito com as fotos e informações recebidas da Abin, onde constatou tratar-se do foragido. O proprietário da camionete hilux estava no veículo e dava apoio no deslocamento, bem como a esposa do foragido e dois filhos. 

Havia ainda nos pertences quatro aparelhos celulares bloqueados e 3.381,55 reais em espécie. O foragido da justiça, as pessoas que o acompanhavam e todo material apreendido foram conduzidos e entregues na Delegacia (Central de Flagrantes Centro) de Palmas-TO para as providências legais.

Informações adicionais

O foragido, vulgo “Tati”, é integrante da facção criminosa Comando Vermelho (CV), e conhecido por ter liderado o Conselho do Juruá, um braço do CV no Estado do Acre, sendo responsável por controlar a rota de tráfico de entorpecentes e de armas na região do Vale do Rio Juruá, a principal rota no Acre. O foragido participou de um latrocínio que vitimou um policial militar no município de Cruzeiro do Sul em 2014. Por este crime foi preso e condenado a 26 anos de prisão. 

Em 2018, fugiu do Complexo Penitenciário Francisco de Oliveira Conde, em Rio Branco, e retornou para a fronteira como membro do conselho do Juruá. Em setembro de 2018 ascendeu ao cargo de presidente do conselho do Juruá e permaneceu comandando a dinâmica da facção na região até setembro de 2019, quando ascendeu à conselheiro do quadro final do Estado. Desde então, é considerado uma das principais lideranças do CV no Acre. Possui mandado de prisão expedido pela Vara de Execuções Penais da Comarca de Rio Branco em dezembro de 2018. (Ascom  PM/TO)