Economia

Foto: Divulgação Fieto

Foto: Divulgação Fieto

Em fevereiro os empresários tocantinenses da indústria, sondados pela Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO), se mostraram menos otimistas em relação às condições da economia e de seus negócios, embora de forma menos acentuada que em janeiro. É o que revela o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) publicado mensalmente pela entidade e divulgado nesta quinta-feira, 16.   

Conforme a pesquisa, o indicador que mede a confiança do empresário passou de 46,5 pontos para 48 (aumento de 1,5 pontos) e não ultrapassou a linha divisória dos 50 pontos. Em comparação com janeiro de 2022 houve uma queda de 14 pontos. Esse resultado indica que os empresários demonstraram falta de confiança em relação aos próximos seis meses. O resultado nacional no mesmo período foi um pouco melhor e alcançou 50,6 pontos. 

A técnica em pesquisas da Fieto, Gleicilene Bezerra, avalia que “os empresários demonstraram falta de confiança em relação aos próximos seis meses, sobretudo, pela percepção de piora no que diz respeito as condições atuais da economia brasileira e de seus negócios”. 

Apesar de pouco confiantes, a expectativa dos empresários tocantinenses melhorou no período analisado, com indicador passando de 47,4 pontos para 50,4 de janeiro para fevereiro. Já o indicador de Condições Atuais, que em janeiro ficou em 44,8 pontos, em fevereiro registrou 43,2.