Economia

Foto: Arquivo/Fieto

Foto: Arquivo/Fieto

A queda nos indicadores de Condições Atuais, que passou de 41,1 para 40 de maio para junho, e de Expectativas, que reduziu 1,7 pontos e ficou em 53,5 no período em análise, foram determinantes para o recuo de 1,5 pontos no Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) em junho, que registrou 49,0 pontos. A pesquisa é da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (FIETO) e foi divulgada nesta terça-feira, 25. 

Sempre que o ICEI, que é composto pelos indicadores de Condições Atuais e Expectativas, fica abaixo da linha divisória dos 50 pontos indica falta de confiança do empresário em relação aos próximos seis meses. Ao contrário, quando ultrapassa os 50 pontos, mostra confiança para os próximos 6 meses.

“O ICEI caiu no mês de junho, sobretudo, em função das avaliações quanto a situação atual da economia brasileira, que na visão dos empresários do segmento industrial piorou em comparação com os últimos seis meses”, avalia a técnica em pesquisa da Fieto, Gleicilene Bezerra da Cruz.

No cenário nacional, o índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI Brasil) aponta que os empresários estão confiantes, com indicador batendo na casa dos 51,4 pontos em junho, acima da linha divisória, o contrário do que ocorreu no Tocantins no mesmo período.