Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Economia

Foto: Divulgação

Os comerciantes de Palmas não contrataram funcionários temporários para o Dia das Crianças. Foi o que revelou a pesquisa Sondagem de Vendas, realizada pelo Instituto Fecomércio Tocantins, em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT). De acordo com os dados, 100% dos entrevistados afirmaram não terem admitido colaboradores nesse período. 

“Percebemos uma diminuição na contratação de temporários nessa data comemorativa nos últimos anos. Em 2014, a admissão de colaboradores era realidade para 20,7% das empresas. No ano seguinte, esse percentual caiu para 17,6%. Além das quedas no decorrer dos anos, temos que levar em consideração que o período agravante da economia brasileira pode ter contribuído”, afirmou o presidente do Sistema Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni.

Apesar disso, a comercialização no Dia das Crianças melhorou em relação a 2015. De acordo com a pesquisa, as vendas de 2016, em comparação com o mesmo período do ano anterior, foram maiores para 24,8% dos empresários. Em 2015, esse número foi de 5,4%. Para 48% dos comerciantes, o aumento foi de até 5% e para 8% dos entrevistados, o crescimento foi superior a 20%. Dos que perceberam redução nas vendas, 38,6% responderam que a queda foi superior a 20%.

A forma de pagamento mais observada durante a pesquisa foi a parcelada com cartão de crédito, presente na resposta de 31,7% dos entrevistados. E a quantidade de parcelas se mostra moderada, sendo que a maioria dos respondentes (44,2%) informou que seus clientes parcelaram entre quatro e seis vezes. 

Os dados apontam também que os palmenses recuaram no valor médio gasto nos presentes. A pesquisa sobre a intenção de consumo para o Dia das Crianças mostrou que a maioria dos clientes pretendia gastar entre R$ 150 a R$ 250. Pela sondagem, percebeu-se que essa foi a opção para a menor parcela dos clientes (apenas 6,9%). A maioria (40,6%) gastou entre R$ 50 e R$ 100. A taxa de clientes que fizeram pesquisa de preço é considerada alta (39,6%).

A maioria dos entrevistados (67,3%) afirmou ter realizado promoções para a data comemorativa, sendo os descontos especiais a opção mais reincidente (77,9%). Os investimentos com ações publicitárias continuam diminuindo. Este ano, 63,4% não fizeram publicidade de suas vendas. Em 2015, esse número foi de 59,5%, uma diferença de quase 4%.