Polí­tica

Foto: Divulgação Eduardo afirmou que, se quisesse e tivesse a vontade, se candidataria a senador e não a suplente Eduardo afirmou que, se quisesse e tivesse a vontade, se candidataria a senador e não a suplente

O deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (DEM), subiu à tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins no final da manhã desta quarta-feira, 28, para queixar-se de boatos dando conta que ele não será candidato nas eleições deste ano em decorrência de problemas de saúde que vem enfrentando, relativos às inflamações nos nervos da face que provocam paralisia facial. “Muitos aproveitam para dizer que eu até deixarei de ser candidato em função disto, é lamentável, é triste que ainda façam isto”, desabafou.

Eduardo aproveitou também para reforçar que seu pai, o ex-governador Siqueira Campos, que completa este ano 90 anos no mês de agosto, será candidato nas eleições de outubro. “Eu quero reafirmar aqui dentro dos prazos da justiça eleitoral. O senhor José Wilson Siqueira Campos é pré-candidato ao Senado da República. Não há dúvidas! Todo mundo sabe com quem ele não se coliga. Ele não se coliga com quem não governa este Estado, ele não se coliga com quem não toma providências, com quem não toma atitudes, como a que ele tomou ao fundar esta capital. Ele continua o mesmo, mas está com os cabelos brancos. Mas se está vivo é porque Deus lhe permitiu. Quem aposenta político é ausência de votos. Ele pode não ter muitos líderes políticos lhe apoiando, mas tem o povo de braços abertos, indicando que Siqueira Campos vai ocupar uma das vagas no Senado", afirmou.

Sobre o seu caso, Eduardo lembrou que vai completar 60 anos e tem alguns problemas de saúde, mas disse que está firme. “Estou firme, sou filho dele e o sangue dele corre em minhas veias, como o rio Araguaia e o rio Tocantins. Tenho amor por este Estado. Lutei aqui sozinho, enquanto muitos estavam apoiando um governo que eu não tenho nada de pessoal. As águas passadas não voltam, não movem moinhos”, disse.

Suplência ao Senado

Eduardo Siqueira também salientou que não será candidato à suplente na chapa de seu pai e sim candidato à reeleição para o mandato de deputado estadual. “Sou candidato a deputado estadual para permanecer nesta casa... Eu peço que a imprensa registre para que não haja fofoca e nem notinhas de imprensa. Não sou candidato à suplente, jamais seria na chapa de meu pai! Que se eu quisesse e tivesse a vontade de ser senador eu me candidataria a senador e não a suplente. Sou candidato a deputado estadual. Ele é candidato ao Senado. Pré-candidatos os dois. Eu espero que isto encerre este assunto e que os meus prefeitos e aqueles que me apoiam saibam, estou e vivo e forte no meu amor por este Estado”, arrematou. 

Palavra dada a Ronaldo Dimas 

Durante seu pronunciamento, Eduardo também fez questão de declarar apoio ao pré-candidato ao Governo do Estado, Ronaldo Dimas (PR), que é prefeito de Araguaína em segundo mandato. “Até o dia 7 de abril eu tenho um compromisso com o prefeito Ronaldo Dimas. Se ele for candidato eu estarei ao lado dele, por entender que ele é o melhor gestor deste Estado. Se ele não for candidato eu volto a analisar o quadro. Mas com o prefeito Ronaldo Dimas eu dei a minha palavra, juntamente com meu pai. Nós estaremos com ele até que ele diga se vai levantar da cadeira e ter coragem para colocar seu nome para tirar o Tocantins deste momento em que ele se encontra”, frisou Eduardo.

PEC

Eduardo falou ainda de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que apresentou na Casa de Leis para que o Governo do Estado pague os salários dos servidores do dia 1º ao 5º dia útil do mês. “Eu fiz com o compromisso de valer só para o próximo mandato, para não dizer que eu estou aqui fazendo alguma PEC contra o atual governador. Eu não vou atrapalhar este governo, porque entendo até que ele se atrapalha sozinho. Não estou aqui para contribuir para o quanto pior melhor. Porque pior como está não há como ficar”. Eduardo finalizou dizendo querer o melhor para o Estado.