Polí­tica

Foto: Divulgação Fernandes Martins (à direita) ao lado de Vicentinho em palanque Fernandes Martins (à direita) ao lado de Vicentinho em palanque

O prefeito de Figueirópolis, Fernandes Martins (MDB) disse que está sofrendo perseguição e pressão financeira por parte do Governo do Estado após ter declarado apoio à candidatura do senador Vicentinho Alves (PR) na eleição suplementar.

A informação foi repassada pela equipe de campanha de Vicentinho e causou polêmica. Segundo a assessoria do candidato, o prefeito afirmou que o Estado teria retirado do município duas máquinas importantes para atender às famílias da zona rural do município.

Além de retirar da Prefeitura a patrol e a perfuratriz, o governo também teria retirado da cidade o coordenador do Ciretran. Tudo isso, segundo o prefeito, teria acontecido somente um dia após ele manifestar apoio à candidatura de Vicentinho.

 "Declarei apoio numa sexta-feira e eles já estavam aqui no sábado, para levar a única patrol do Estado que fazia parte da patrulha mecanizada que estava trabalhando na recuperação de estradas no município", afirmou o prefeito.

Segundo  Fernandes, o Estado também levou uma perfuratriz, que estava atendendo aos assentamentos. "Além disso, tirou o coordenador do Ciretran, que funcionava em prédio bancado pela Prefeitura e está fazendo pressão financeira em cima de líderes locais (para retirar apoio a Vicentinho)", completou.

Governo nega

O Governo do Estado, no entanto, negou as denúncias do prefeito divulgadas pela assessoria de campanha. De acordo com nota da Secretaria Estadual de Comunicação, a patrol teria sido deslocada de Figueirópolis para atender uma situação de emergência em um outro assentamento no município de Lagoa da Confusão.

A nota, entretanto, nada diz sobre a perfuratriz que também teria sido retirada do município e a saída do coordenador do Ciretran do local. A Secom finaliza dizendo que o governo tem compromisso com todos os municípios independentemente da posição política.

Confira a nota na íntegra:

Sobre afirmação do prefeito de Figueirópolis, Fernando Martins, no episódio do deslocamento de máquina do Estado que trabalhava em seu município, a Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto) esclarece que o equipamento passou a integrar patrulha de emergência para atender o Assentamento Loroti, no município de Lagoa da Confusão. 
A localidade com mais de 500 famílias estava totalmente isolada, em virtude das últimas enchentes que destruíram as vias de acesso ao local.

A Ageto reforça o compromisso do Governo do Estado, de atender todos municípios em suas necessidades, independentemente do posicionamento político dos gestores municipais.