Polí­tica

Foto: Divulgação

Os advogados do Psol e do candidato Mário Lúcio Avelar entraram nesta quinta-feira, 17, com um Recurso Especial Eleitoral e com uma Medida Cautelar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em face à decisão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que rejeitou o Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (DRAP), na parte relativa a prestação de contas da sigla no ano de 2015.

Na ação, foi alegado que a atual direção estadual do partido tomou posse em 1º de abril de 2017, e que adotou providências, visando a regularização da situação partidária junto ao TRE/TO, Receitas Federal, bancos, entre outros. Considerando cumpridas as exigências, empenhou esforços no sentido de verem julgadas regularizadas, pois já havia manifestação do órgão Técnico e da Procuradoria Regional Eleitoral, ambas favoráveis ao deferimento.

Contudo o juiz relator Rubem Ribeiro de Carvalho, entendeu necessárias a apresentação de Demonstrativo de Resultados e Balanço Patrimonial, o que foi feito pelo Partido. A ação foi distribuída para o ministro Tarcísio Vieira de Carvalho Neto no TSE.

Cabe ressaltar, que a candidatura de Mário Lúcio não foi indeferida pelo TRE, uma vez que o pleno do tribunal ainda não analisou o registro. O julgamento foi marcado para a próxima sessão, nesta sexta-feira, 18, às 17 horas.

Taquaralto

Os recentes acontecimentos na política tocantinense refletiram diretamente no comércio das cidades e na vida das pessoas. Em visita na Avenida Tocantins, em Taquaralto (Palmas), nesta quinta-feira, 17, Mário Lúcio Avelar (Psol), candidato a governador do Estado, conversou com empresário e comerciantes e ouviu o quanto o movimento das lojas têm diminuído.

“Estivemos no comércio, conversando com as pessoas e a queixa é uma só: o comércio está parado. É preciso que o Estado fomente a instalação de indústrias aqui, volte a investir, tenha capacidade de construir, fazer obras e movimente a economia. Só assim, nós teremos mais geração de renda, emprego e mais riqueza para todos”, disse Mário Lúcio.

Dia Internacional Contra a Homofobia

Ainda em Taquaralto, Mário Lúcio conversou com um grupo de pessoas que participavam de um movimento pelo Dia Internacional Contra a Homofobia, que acontece nesta quinta-feira. “Ouvi a demanda desse grupo e fiquei sabendo de vários relatos de preconceitos e violência que eles já passaram. Conversamos também sobre minha proposta para a área dos Direitos Humanos. No Ministério Público Federal tenho encampado há muito tempo a luta pelo fim do preconceito, da discriminação e toda forma de ação que possa prejudicar a pessoa em detrimento do que ela é ou pensa”, concluiu.