Polí­tica

Foto: Divulgação

O Psol formalizará junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) o nome de Melque Aires (Psol) a candidato na chapa de Mário Lúcio Avelar (Psol) ao Governo do Tocantins na eleição suplementar. A decisão ocorre, após a Justiça Eleitoral negar o registro do candidato a vice na chapa, Mayst Maia (Psol), em razão da falta de descompatibilização do cargo de professor na rede pública de ensino no período previsto na legislação.

Melque Aires é teólogo e empresário. É natural do município de Brejinho de Nazaré (TO). Iniciou sua carreira pública em 1998, como secretário de Governo da Prefeitura de Palmas. Em 2002, assumiu uma das cadeiras de vereador da Capital. Já ocupou os cargos de presidente do Prodivino/Banco do Empreendedor (BEM), quando implantou o microcrédito aos empresários tocantinenses; vice-presidente do Naturatins; e subsecretário de Governo no Executivo estadual.

“Recebi o convite do partido e do Mário Lúcio e aceitei por querer servir ao nosso povo do Tocantins. Eu já tenho vários serviços prestados pelo nosso estado, sou pioneiro da criação de Palmas e do Tocantins. Acredito que a forma mais fácil de ajudar o meu semelhante é na política. Então, resolvi aceitar esse convite e com certeza vamos ter uma campanha vitoriosa”, disse Melque Aires.

Já Mario Lúcio, afirmou lamentar a saída do professor Mayst, mas disse que Melque Aires também tem história no Tocantins. O candidato aproveitou também para tranquilizar os eleitores sobre a decisão do TRE que entendeu que ele só pode ser candidato se deixar o Ministério Público Federal (MPF) em definitivo e garantiu que a candidatura está de pé. “Estamos na disputa e iremos até às últimas instâncias da Justiça para garantir o nosso direito que participar da vida política”, concluiu.