Polí­tica

Foto: Divulgação

A assessoria de imprensa de Mário Lúcio Avelar (Psol), candidato ao Governo do Estado na eleição suplementar desse domingo 3 de junho, afirma que ele vem sendo vítima de notícias falsas na reta final da campanha. O candidato lamentou o "desespero dos concorrentes" e disse que o Tocantins precisa se livrar de uma vez por todas das velhas práticas políticas, segundo ele,  exercidas por quem sobrevive "apenas da miséria do povo".

“Após a minha fala dirigida ao candidato Vicentinho Alves durante o debate da TV Anhanguera fui por ele acusado de ter adquirido lotes com valores irrisórios e de forma nebulosa no começo dos anos 2000. A acusação requenta uma notícia-crime protocolizada pelo ex-deputado Darci Coelho junto à PGR e que foi na sequência arquivada por falta de provas e argumentação. A falsa acusação foi uma retaliação ao esquema de corrupção com emendas parlamentares que eu então havia denunciado”, explicou Mário Lúcio.

“Nenhum lote por mim foi adquirido do Estado. Jamais adquiri bem de forma ilícita ou recebi benefício de terceiro. É importante que a falsa acusação seja corretamente rechaçada e compreendida como uma reação de quem acuado não tinha outra defesa senão a calúnia”, complementou Mário Lúcio.

Durante o debate, Mário Lúcio questionou o candidato Vicentinho Alves por seus envolvimentos em casos de corrupção. Mário Lúcio também lembrou que o candidato do MDB tem o apoio do governador cassado Marcelo Miranda e do presidente da República Michel Temer, ambos do MDB. Além disso, a sigla de Vicentinho Alves, o PR, é uma das que está mais envolvida com os escândalos de desvios de dinheiro público da operação Lava Jato.