Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Polí­cia

Foto: Divulgação Concurso foi realizado em março deste ano Concurso foi realizado em março deste ano

Até agora 12 pessoas já foram presas pela Polícia Civil por suspeita de fraudes no concurso da Polícia Militar do Tocantins que foi realizado no no mês de março deste ano.  A operação policial foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (21), e, além do Tocantins, também está sendo realizada nos estados do Maranhão e Piauí, onde são cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão.

Entre os presos está um homem conhecido como Antônio Concurseiro. Ele é apontado como o líder da quadrilha. A operação denominada Aleteia é comandada pela Delegacia Especializada em Investigações Criminais (Deic Norte) e conta com o apoio também da Delegacia Regional de Araguaína. O delegado regional, Bruno Boaventura, explicou em um áudio enviado à imprensa que a operação ainda está em curso e mais pessoas devem ser presas e apresentadas à justiça até sexta-feira. “Estamos fazendo diligências e se tudo correr bem, com a detenção de todos, os suspeitos devem ser apresentados no final da tarde ou nesta sexta-feira", explicou.

O concurso da PM se tornou alvo de denúncias de possíveis fraudes um dia após a aplicação das provas que aconteceu no dia 11 de março deste ano. Um celular foi encontrado dentro do banheiro de um dos locais de aplicação de prova em Araguaína. O aparelho continha várias respostas que, segundo a polícia, não eram do gabarito oficial.

Além disso, também foram registradas ocorrências de candidatos usando celulares, um envelope de provas com lacre violado em Arraias e várias imagens do caderno de provas postadas em redes sociais.

Atualmente o concurso da PM está suspenso por determinação judicial.