Polí­cia

Foto: Divulgação Inquérito foi entregue ao MPF nesta quarta, 22 Inquérito foi entregue ao MPF nesta quarta, 22

A Polícia Federal entregou ao Ministério Público Federal o inquérito que indicia o ex-governador Marcelo Miranda (MDB) e o ex-procurador-geral de justiça Clenan Renault de Melo pelo suposto desvio de R$ 750 milhões do erário público em contratos fraudulentos para construção de rodovias no estado.

Os indiciados foram alvo da Operação Convergência da Polícia Federal realizada em agosto do ano passado para apurar pagamentos indevidos em obras de infraestrutura no Tocantins. O nome da operação fazia referência à intersecção das operações Ápia e Reis do Gado que também envolviam o ex-governador e seus parentes.

De acordo com a PF, obras de terraplanagem e pavimentação asfáltica realizadas no Tocantins entre 2011 e 2014 custaram aproximadamente R$ 850 milhões, e geraram créditos indevidos a empresários. Os pagamentos realizados de 2011 a 2014 totalizaram aproximadamente R$ 750 milhões de reais, enquanto o restante, mais de R$ 120 milhões, foram efetivamente quitados em anos posteriores.

Também foram indiciados no inquérito da PF, o filho de Clenan Renault, Renan Bezerra; o ex-procurador-geral do estado, Sérgio do Vale; o ex-secretário de infraestrutura do estado, Sérgio Leão; e o empresário Vilmar Bastos.

Através de nota o advogado de Wilmar Bastos informou que não teve acesso ao relatório da Operação Convergência. O advogado falou ainda que diante disso, não tem condições de se manifestar sobre o assunto. (Matéria atualizada às 15h59)