Araguaína

Foto: Marcos Filho Sandes O início será marcado por dois encontros, às 8 e 14 horas, no Centro de Atenção Psicossocial Infantil O início será marcado por dois encontros, às 8 e 14 horas, no Centro de Atenção Psicossocial Infantil

Articulada pela Prefeitura de Araguaína, por meio da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), em parceria com instituições de ensino, a campanha Setembro Amarelo tem início nessa segunda-feira, 10, com dois encontros, às 8 e 14 horas, no Centro de Atenção Psicossocial – Infantil (CAPS), localizado à Rua Deusarina Aires, no Jardim Filadélfia. 

O Setembro Amarelo é uma iniciativa mundial pela prevenção ao suicídio e valorização da vida. Ao longo das próximas três semanas do mês, a campanha contará com diversas ações como rodas de conversas, ciclos de palestras e blitz educativas. O encerramento será no dia 30, com o 2º Fórum “Quebrando o Silêncio”.

De acordo com um dos organizadores e coordenador do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPS AD 3), Klaubher Feitosa, a campanha desse ano busca a aproximação com os jovens do Ensino Médio e universitários de Araguaína.

“Os jovens, nesse período de passagem para a universidade, acabam sentindo muita a pressão, principalmente, aqueles que têm alguma predisposição biológica. É uma época de expectativa e frustração que contribui para os casos de suicídio que vem acontecendo”, afirma o coordenador. Para Feitosa, é preciso deixar o preconceito de lado e entender que o suicídio é um fenômeno complexo, que pode afetar pessoas de diferentes classes sociais, idades, religiões, entre outras caraterísticas distintas. 

O coordenador ainda diz que prestar atenção nos sinais pode ajudar na prevenção. “A pessoa está em sofrimento há algum tempo. Ela começa pelo isolamento social e desvalorização da vida, depois ela idealiza o suicídio, planeja, e então, executa. Essas etapas apresentam sinais e a pessoa mesmo acaba falando sobre isto. Muitas vezes, quem escuta acha que a pessoa não tem coragem suficiente, mas isso não é uma questão de coragem”.

Núcleo de apoio

O atendimento psicológico e psiquiátrico à comunidade pode ser solicitado a partir de uma consulta nas unidades básicas de saúde (UBS). Identificada a necessidade de acompanhamento, o paciente é encaminhado ao Núcleo de Apoio e Saúde da Família (Nasf) para receber o atendimento necessário.

Seja reservado para orientar alguém a procurar ajuda. Se a pessoa for do seu convívio, fique de vigilância para evitar que ela tenha acesso a meios que possam provocar a própria morte. E se apresentar risco imediato, ligue no 192 para acionar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que encaminhará o paciente ao serviço de urgência psiquiátrica do Hospital Regional.

Se precisar de alguém para conversar, uma das entidades mais conhecidas e respeitadas na prevenção de suicídio é o Centro de Valorização da Vida (CVV), que conta com serviço de apoio psicológico gratuito por meio do número 188.

Caminhada

Ao final da tarde, a partir das 16h30, haverá uma caminhada saindo do Colégio Objetivo, rua Santa Cruz, 100 - St. Central, em direção à Via Lago.