Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Estado

Foto: Divulgação

O Ministério Público Estadual (MPE), por meio da promotora de Justiça, Renata Rampanelli Cisi, participou de reunião nesta última quinta-feira, 8, que discutiu a importância do uso de matadouro regular para o abate de animais. O encontro foi realizado na Câmara Municipal de Aparecida do Rio Negro, a convite da Prefeitura e do Legislativo municipal.

Na ocasião, a promotora de Justiça esclareceu aos proprietários de açougue sobre os riscos que o abate clandestino de animais pode ocasionar à saúde, ao meio ambiente e às relações de consumo. “A comercialização de carne proveniente de abates irregulares e sem as adequadas condições sanitárias, além de ser ilegal, pode provocar doenças sérias como brucelose, tuberculose, podendo levar inclusive à morte”, alertou.

Durante a reunião, foram abordados, ainda, os aspectos criminais em relação ao descumprimento da legislação sanitária e a necessidade de implantação do Serviço de Inspeção Municipal (S.I.M) para garantir a fiscalização, bem como eventuais autuações no sentido de coibir situações irregulares.