Campo

Produtores de horta comunitária aprenderam como reaproveitar resíduos do consumo diário

Produtores de horta comunitária aprenderam como reaproveitar resíduos do consumo diário Foto: Marcos Filho Sandes

Foto: Marcos Filho Sandes Produtores de horta comunitária aprenderam como reaproveitar resíduos do consumo diário Produtores de horta comunitária aprenderam como reaproveitar resíduos do consumo diário

Os produtores da horta comunitária e outros moradores do setor Araguaína Sul tiveram, na última sexta-feira, 15, uma aula prática sobre produção de adubo orgânico por meio do processo de compostagem, com o reaproveitamento de resíduos do consumo diário, como cascas de frutas e legumes, pó de café e cascas de ovos trituradas. A aula faz parte do Programa Araguaína + Ambiente nos bairros, que leva palestras sobre ações de sustentabilidade e plantio de mudas.

Ministrada pelo diretor municipal de Agricultura, Mário Vitória, e equipe técnica da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, a aula serviu também para que os produtores tirassem dúvidas sobre outros assuntos inerentes às hortas, dentre eles o controle de pragas. A aula gratuita foi aberta à comunidade e, além das cinco famílias produtoras da horta comunitária, atraiu outros participantes.

O José Nascimento trabalha com horta há mais de 10 anos e conta que agora aprendeu a forma correta de fazer o adubo orgânico. “Já havia tentado algumas vezes, mas não deu certo. Agora vi no que errei e vou fazer do jeito certo”, comentou.

Como fazer uma composteira

A composteira pode ser feita direto no solo ou em baldes e bacias, com furos no fundo para que o chorume possa ser liberado. O ideal é que o local onde a composteira fique seja arejado e com sombra, por exemplo, debaixo de uma árvore.

Coloque material seco, como palha, serragem, jornais velhos ou papelão e então coloque uma camada de restos orgânicos, que podem estar úmidos, mas não molhados. A cada camada de material úmido, uma de material seco deve ser adicionada.

O que usar

Podem ser colocados cascas de frutas, legumes e verduras; pó de café, inclusive o coador de papel; restos ou migalhas de pães e biscoitos; restos de grãos ou farinhas crus; aparas de ervas, raízes ou capim seco; folhas; saquinhos de chá; cascas de ovos.

Não podem ser colocados fezes ou urina humana ou de animais; produtos químicos; restos de carne vermelha ou branca; papel higiênico ou fraldas usadas; ossos e espinhas de peixes; gorduras e derivados de leite; madeira envernizadas, vidros ou metais; óleos, tintas, plásticos; restos de comida temperada e remédios em geral.

Quando está pronta

Para um bom desenvolvimento da compostagem, os micro-organismos precisam de ar, umidade e temperatura ideais. A composteira deve ser coberta com um plástico, mas não lacrada. O material deve ser revirado pelo menos uma ou duas vezes por semana para aerar.

A compostagem estará pronta no prazo de 45 a 75 dias, quando o material apresentar aparência homogênea, onde não se percebe os elementos que o compõem, com cheiro e cor de terra escura. Uma dica para testar e esfregar o produto nas mãos, que não devem ficar sujas, pois o material deve estar seco e solto.