Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Esporte

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Criada a partir de pleito eleitoral entre os últimos dias 27 e 28, por meio de votos direitos de 756 atletas de todo o Brasil, foram eleitos os primeiros 27 representantes da inédita Comissão de Atletas de Judô Eletiva (Caje), e dentre eles está a tocantinense Maria Eduarda Pereira Hardman. Este grupo de judocas terá representatividade e direito a voto no próximo processo eleitoral dos poderes da Confederação Brasileira de Judô (CBJ).

Atualmente com 18 anos, Maria Eduarda Hardman é faixa roxa da primeira turma da equipe Cemil Bombeiros, sendo acadêmica do curso de Educação Física. Judoca há cinco anos e competidora desde 2016, Hardman é multicampeã estadual e regional e referência também fora dos tatames, o que justifica este interesse em enveredar nos caminhos político-administrativos do Judô, conforme ela mesma explica. 

“Me candidatei para a comissão de atletas com o intuito de estar envolvida em mais questões relacionadas ao Judô, para conhecer a administração da CBJ e toda sua organização, como participar de reuniões e das eleições de cargos. Não quero ser somente uma atleta de competição, acho que fazer parte e estar envolvida em mais coisas vai acrescentar em vários aspectos na minha vida. E ter a chance de representar o Tocantins, assim como todos os atletas federados a ele, me deixa bastante grata, ainda mais porque sou uma das mais jovens a ser eleita nessa comissão, o que me trouxe certa insegurança, mas são novos caminhos, ambientes e uma ótima oportunidade para aprender cada vez mais e darei o meu melhor estando lá”, ressaltou Hardman, lembrando que é a mais jovem da Caje ao lado de outros dois atletas.

Palavra da CBJ

Em declaração divulgada pela CBJ, o presidente da entidade máxima do Judô no Brasil, Silvio Acácio Borges, afirmou que “esse processo eleitoral foi organizado pelo Conselho de Administração da CBJ, que redigiu o Regimento eleitoral aprovado em Assembleia em março de 2020, e conduzido pelo Conselho de Ética e pela Comissão Eleitoral, fazendo deste, um dos processos mais democráticos dos quais já tivemos o prazer de participar dentro da nossa entidade”.

Processo e eleitos

Ainda conforme dados divulgados pela CBJ, na eleição dos atletas, cada estado, mais o Distrito Federal, escolheu um representante, com exceção do Acre, que não inscreveu nenhum candidato, sendo escolhido, em seguida, os um representante medalhista olímpico, chamando a atenção, ainda, o equilíbrio na divisão por gênero entre os eleitos, sendo, dos 27 integrantes, 12 mulheres e 15 homens.

Para acessar a apuração completa do pleito, que ocorreu por meio da plataforma digital independente “Elejaonline”, basta clicar no link Pleito Caje 2020.

Segue, agora, a lista dos eleitos para a Caje:

. Alagoas: Jorge Paulo Alves de Lima.

. Amapá: Julio de Oliveira Vilhena.

. Amazonas: Rafaela de Araújo Barbosa.

. Bahia: Isadora Caroline Macário Souza.

. Ceará: Glaucia da Silva Lima.

. Distrito Federal: Luiza Cristina Mota.

. Espírito Santo: Edivaldo Medeiros do Amaral.

. Goiás: Carlos Henrique Campos de Carvalho.

. Maranhão: Adryelly Karolynny Santos Pinheiro.

. Mato Grosso: Diego Nunes Camargo.

. Mato Grosso do Sul: Marcio Flavio Andrea Pereira.

. Minas Gerais: Eduardo Bettoni da Silva.

. Pará: Milton Rafael Ribeiro de Miranda.

. Paraíba: Jayane Kelly dos Santos Lima.

. Paraná: Natasha Padilha Ferreira.

. Pernambuco: Felipe Morra Ornelas Lopes.

. Piauí: Lucas Damasceno Paz.

. Rio de Janeiro: Sarah Gabrielle Cabral de Menezes.

. Rio Grande do Norte: Felipe Augusto Farias Bezerra.

. Rio Grande do Sul: Felipe Eidji Kitadai.

. Rondônia: Amanda de Oliveira Arraes.

. Roraima: Priscila Vithória Lima Vieira.

. Santa Catarina: Rafael Bini Prada.

. São Paulo: Rafael Carlos da Silva.

. Sergipe: Alex Anjos de Menezes.

. Tocantins: Maria Eduarda Pereira Hardman.

. Medalhista olímpica: Ketleyn Lima Quadros. 

(Marcus Mesquita com informações da CBJ)