Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Polí­tica

Foto: Divulgação

O vereador professor Júnior Geo (PROS) levou à tribuna, na última semana, as inúmeras reclamações levantadas pelos servidores municipais de Palmas. Conforme os relatos recebidos pelo parlamentar, a gestão está obrigando os servidores a saírem de férias a partir da segunda quinzena de dezembro ou durante o mês de janeiro, sem aviso ou programação prévia.

Na ocasião, Júnior Geo destacou que não foi apresentado pela gestão nenhuma documentação formal exigindo que o servidor faça a solicitação de férias. “Diversos servidores entraram em contato conosco, buscando informações referentes à quais medidas tomarem. Se não existe nenhuma solicitação formal, é importante que o servidor questione se é necessário fazer esse pedido de férias de forma imediata”, afirmou o vereador.

"O Plano de carreira não ocorre em conformidade, as progressões não são pagas e os servidores continuam sendo prejudicados. Determinar que o trabalhador tenha férias de imediato, sem agendamento prévio, atrapalha diretamente o planejamento financeiro e familiar. Nós não devemos impor ao servidor público, mas sim manter o diálogo, conciliar e buscar soluções mais adequadas”, destacou Geo.

Para o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmas (Sisemp), Heguel Albuquerque, a medida tomada pela gestão é arbitrária e denota falta de sensibilidade do prefeito, “que não administra pensando em pessoas, apenas em números e resultados”, ressaltou.