Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Geral

Foto: Divulgação Seciju Equipe do Núcleo Acolher Tocantins atendeu mais de 200 dependentes químicos em 2017 Equipe do Núcleo Acolher Tocantins atendeu mais de 200 dependentes químicos em 2017

Por meio de atendimentos e orientações especializadas, o Núcleo Acolher atendeu 232 dependentes químicos e seus familiares, entre homens e mulheres, que estiveram em acompanhamento com psicólogos, assistentes sociais, enfermeiros e psiquiatras, desde janeiro de 2017.

Em 2017, foram atendidos 175 homens e 57 mulheres em situação de dependência química direta ou indireta. Dentre as atividades desenvolvidas pelo Acolher estão inclusas a aplicação de testes, como a sorologia para hepatite B, hepatite C, anti HIV (1 e 2) e sífilis. “Quando detectada a sorologia positiva para qualquer uma das doenças sexualmente transmissíveis, o núcleo encaminha para atendimento especializado”, explicou Fábio Júnior Campos, enfermeiro do Acolher.

Também compõe o quadro de atividades do Núcleo Acolher o encaminhamento e oferta de 40 vagas para tratamento em comunidades terapêuticas. O psicólogo Ibenéias Gonçalves explica que as 40 vagas ofertadas estão distribuídas em cinco comunidades terapêuticas conveniadas ao Núcleo, como a Fazenda da Esperança de Palmas, Porto Nacional e Lajeado e as comunidades Leão de Judá e Rhema, em Palmas. “Os critérios utilizados para concessão desse benefício são a avaliação, primeiramente, das condições psicológicas do indivíduo, e também das condições socioeconômicas em que se encontra”, esclareceu.

Acúmulo

As drogas com maiores índices de consumo pelos atendidos, tanto homens quanto mulheres, são o crack, o álcool e o tabaco. “No público masculino é observado um acúmulo quanto ao uso das substâncias químicas. A maioria deles também consome maconha, cocaína e outras drogas”, elucidou Ibeneias. No que se refere ao perfil do atendido, o psicólogo também explica que a maioria é homens, entre 26 e 45 anos de idade, que não chegaram a concluir o ensino médio, encontram-se em situação de uso de drogas a mais de sete anos e estão desempregados. 

Já o perfil da mulher assistida pelo Acolher se parece muito com o do homem. “Mas foi observado que a maior parte das mulheres atendidas tem entre 18 e 35 anos, ou seja, são mais novas”, comparou.

Outras Atividades

O Núcleo Acolher também esteve envolvido nas atividades desenvolvidas pelo Projeto Caravana da Juventude, do Governo do Tocantins, que promove por meio de políticas públicas, a cidadania entre os jovens. Foram realizadas palestras em mais de 90 municípios do estado, com informações de conscientização sobre as consequências do consumo excessivo de álcool e outras drogas.

A equipe do Acolher também realiza visitas técnicas periódicas nas comunidades terapêuticas conveniadas e participa ativamente das atividades em andamento, do Projeto Prevenir, também ligado a Superintendência de Ações Sobre Drogas da Seciju.

Serviço

Criado para atender o dependente químico e seu eixo familiar, o Núcleo Acolher é um projeto executado pela Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), por meio da Superintendência de Ações Sobre Drogas, que tem o intuito de promover a recuperação e reinserção social de indivíduos em situação de risco, condicionada ao uso indevido de drogas.

O Núcleo está localizado em Palmas, na quadra 704 Sul, Alameda 20, QI 24, Lote 22, e conta com uma equipe de atendimento multidisciplinar formada por psicólogo, assistente social, enfermeiro e psiquiatra para atender dependentes químicos e às suas famílias.