Polí­tica

Foto: Divulgação Halum diz que só decidirá apoio ao governo do estado depois de 7 de abril Halum diz que só decidirá apoio ao governo do estado depois de 7 de abril

Em entrevista ao site Conexão Tocantins na manhã desta quarta-feira, 7, o deputado federal César Halum (PRB) afirmou que será candidato ao Senado nas eleições deste ano. De acordo com o parlamentar a decisão já foi tomada com base nas opiniões de representantes políticos da região Norte do Estado que apontaram seu nome como melhor opção para a vaga ao Senado.

“A região Norte está clamando por um senador, porque sempre teve senador e com a morte de João Ribeiro nós ficamos órfãos de representação no Senado. Dentro de todas as articulações feitas de um ano pra cá meu nome foi escolhido pela maioria dos políticos representando a região Norte para que fosse candidato ao Senado. Portanto, está definido e isso aí não tem volta”, afirmou Halum.

O partido de Halum, o PRB, foi citado por Ronaldo Dimas –  também em entrevista do Conexão Tocantins – como um dos partidos com os quais o pré-candidato ao Governo do Estado teria conversado para propor uma aliança política. Quando questionado sobre essa possibilidade Halum foi esquivo. “Um dia o Dimas me fez uma visita e me convidou e eu disse que nosso bloco; eu, Lázaro Botelho e Eduardo do Dertins, que formamos o bloco, nós só conversaríamos com o candidato. Se ele se tornar candidato, então nós estamos dispostos a sentar para conversar, e pra ele ser candidato depende dele renunciar”, observou.

Com o desejo de disputar a vaga ao Senado, o apoio de Halum a Dimas e, consequentemente, seu encaixe em uma das vagas da majoritária parece inviabilizado, já que o senador Vicentinho Alves é o nome do PR como candidato à reeleição e o ex-governador Siqueira Campos - que já teria declarado apoio a Dimas, segundo seu filho, o deputado Eduardo Siqueira Campos - já se declarou como pré-candidato ao Senado e pode vir a ocupar a outra vaga da majoritária, na possível campanha de Dimas ao Governo.

O Conexão Tocantins tentou contato com o senador Vicentinho Alves, presidente do PR no Tocantins, para saber qual seria a possibilidade de encaixar Halum no grupo, compondo a majoritária, no caso de uma possível aliança com Dimas ao Governo, mas o senador estava em reunião nos ministérios, em Brasília/DF, e não pôde falar com nossa reportagem.

Já Ronaldo Dimas disse que conversou com Halum há duas semanas, mas foi evasivo a respeito do apoio político à pretensão do republicano do PRB. "Ele é um deputado federal de Araguaína e está num pleito para o Senado. É justa essa vontade dele de estar buscando algo que deseja e isso vai depender dessas conversas e acordos. Eu vejo que ele é muito ligado ao Lázaro [Botelho,] os dois partidos [PRB e PP] estão em uma certa amarração”, disse o pré-candidato ao Governo, Ronaldo Dimas, que aproveitou para analisar: “não sei se vão caminhar juntos até o final, mas acho que é uma boa estratégia deles. Estão agindo de forma coerente até agora. Na hora do vamos ver, a verdade é que muitos não querem saber de nada que não seja o que lhes interessa”, observou.

Para César Halum, conversa definitiva mesmo só depois do dia 7 de abril. Por enquanto não decidiu quem vai apoiar para o Governo do Estado. “Eu não vou negociar porque não sei quem é candidato, ou não. É uma decisão não minha, mas do nosso bloco, os Progressistas o PRB e o PPS. Não temos nenhuma dificuldade de dialogar, mas é preciso ter certeza de quem é candidato", concluiu.