Estado

Foto: Nielcem Fernandes

O Governo do Estado homenageou as mulheres tocantinenses em razão do Dia Internacional da Mulher. Em um encontro com o tema “Saúde da Mulher no Tocantins: Apresentando Experiências Exitosas”, foram apresentadas as ações e estratégias de promoção da saúde e do bem-estar das mulheres, idosas, adultas, adolescentes, crianças e suas famílias, buscando a redução da mortalidade materna e infantil no território tocantinense. O evento aconteceu na manhã desta quinta-feira, 08, no auditório do Palácio Araguaia, em Palmas.

O secretário de Estado da Saúde, Marcos Musafir destacou que essa é “uma oportunidade especial de reconhecer o trabalho incansável das mulheres. O Tocantins tem se esforçado para fazer mais e melhor pela mulher tocantinense”.

O Estado do Tocantins é considerado pelo Ministério da Saúde (MS), como estado prioritário em termos de morte materna, tendo a hemorragia e a hipertensão como causas principais. Por isso, o Estado está tomando as providências necessárias e em 2016 e 2017, cerca de 150 profissionais, médicos e enfermeiros, dos centros de atenção ao parto dos municípios de 16 municípios e pólos indígenas receberam oficinas para qualificação da atenção obstétrica.

A diretora de Atenção Primária, Gilian Cristina Barbosa, elencou estratégias e metas para o enfrentamento do problema no Tocantins. Ela apresentou estratégias como o Projeto Zero Morte por Hemorragia; distribuição de 23 Trajes Anti-choque Não Pneumático (TAN); adequação da ambiência das salas pré-parto, parto e pós-parto; unidade de cuidados intermediários, neonatal, canguru e convencionais; cooperação técnica às maternidades; construção do Centro de Parto Normal; implementação dos serviços de atendimento às mulheres, crianças e adolescentes em situação de violência e qualificações de profissionais por exemplo.

Já como metas a diretora apresentou, reduções da morte materna e infantil, redução do número de sífilis congênita, qualificação da linha do cuidado materno infantil, suficiência dos exames de pré-natal e qualificação da atenção ao parto e nascimento nos hospitais do interior do Estado, por exemplo.

Zero Morte por Hemorragia

Em setembro de 2016 foi assinado o termo de Cooperação Técnica entre a Secretaria de Estado da Saúde do Tocantins, a Organização Pan Americanas no Brasil e Ministério da Saúde com o objetivo de aperfeiçoar e fortalecer a capacidade de gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) no Estado.

Esta estratégia foi desenvolvida pelo Centro Latino América de Perinatologia para o fortalecimento das capacidades gestoras e profissionais para o enfrentamento as emergências hemorrágicas, que estão entre as principais causas de morte em mulheres no ciclo gravídico puerperal. Um dos resultados esperados é a qualificação do cuidado e da atenção à saúde das mulheres e crianças tocantinenses, com foco na redução da mortalidade materna grave e infantil.

Neste sentido, o Estado do Tocantins foi pioneiro no Brasil na implementação da estratégia. Claudete Arruda dos Santos, 32 anos, mãe de três filhos, passou por um quadro de hemorragia pós parto, após o nascimento de seu terceiro filho no Hospital e Maternidade Dona Regina Siqueira Campos, e graças ao atendimento oportuno e adequado por uma equipe qualificada de médicos e enfermeiros capacitados, utilizaram uma tecnologia disponível, o TAN, o que possibilitou salvar a sua vida e sair do hospital em perfeito bem estar e sem nenhuma complicação. “A roupa foi essencial por causa dela estou aqui hoje, o que passei foi grave, sangrei muito,mas graças a Deus e a equipe medica estou aqui feliz com meus filhos” disse Claudete.

A diretora do Centro Latino Americano de Perinatologia, doutora Suzane Serruzia, falou sobre o “Panorama da Mortalidade Materna nas Américas”, e explicou que a estratégia mundial sobre a saúde das mulheres, crianças e adolescentes tem três metas: sobreviver, prosperar e transformar. “Sobreviver com indicadores que todos os países devem alcançar que é diminuir a mortalidade materna infantil e neonatal, e eliminar doenças. Prosperar está o elemento mais desafiador que é dar cobertura universal com qualidade para um conjunto de necessidade de saúde, o uso de métodos contraceptivos, por exemplo, é uma das maneiras eficazes de reduzir a mortalidade materna. Por último é transformar, que é o objetivo mais importante, transformar a sociedade de maneira que as pessoas vivem em sua plena capacidade, desenvolvendo todo seu potencial”.

Ela destacou ainda que a avisão da estratégia global para a saúde das Mulheres, das Crianças e Adolescentes é de que até 2030 haja um mundo no qual cada mulher, criança e adolescente em todo lugar, exerça seu direito à saúde física e ao bem-estar e saúde mental, tenha oportunidades econômicas e sociais e seja totalmente capaz de participar na conformação de sociedades prósperas e sustentáveis.

Homenagens

No evento foram homenageadas mulheres que se engajaram nas causas da saúde e também parceiros em ações que beneficiam as tocantinenses. Servidoras de todas as pastas do executivo receberam moções de agradecimento e reconhecimento de suas contribuições, pela dedicação, para o fortalecimento da mulher no Tocantins.

Foram entregues também jalecos para servidores destaques do Estado que contribuíram com a redução da mortalidade materna.