Polí­tica

Foto: Lucas Nascimento

O registro do Demonstrativo de Regularidade dos Atos Partidários (DRAP) da candidatura ao Governo do Estado na eleição suplementar do próximo dia 3 de junho da coligação "A Verdadeira Mudança" (PSB, PT, Podemos, PCdoB e PTB), de Carlos Amastha (PSB), foi deferido por maioria dos votos no início da noite desta segunda-feira, 14, pela corte do Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Tocantins (TRE-TO) durante a 39ª Sessão Ordinária. 

Na parte da manhã o relator, juiz Agenor Alexandre da Silva, já havia antecipado no voto declarando-se favorável ao deferimento do registro da candidatura da coligação. Entretanto, o juiz Rubem Ribeiro de Carvalho pediu vista do processo na oportunidade.

A ação de impugnação do registro do ex-prefeito da capital foi movida pela coligação “Reconstruindo o Tocantins” da também candidata ao Governo, senadora Kátia Abreu (PDT).  Foi pedido também na ação a retirada do PT da aliança, já que a convenção estadual do PT que indicou Célio Moura para vice, foi anulada por decisão da Executiva Nacional do partido.

O Ministério Público Eleitoral, através de seu representante, procurador Álvaro Lotufo Manzano, também deu parecer favorável à candidatura do pessebista na parte da manhã.

Com a aprovação pelo Pleno, o acórdão da decisão foi lido ao final da sessão, destacando a decisão e o voto vencido em parte do juiz Adelmar Aires, que votou pela exclusão do Partidos dos Trabalhadores da coligação.

Já o pedido do registro de candidatura do candidato Carlos Amastha e do vice Célio Moura também entrou em pauta, porém, o juiz Rubem Ribeiro de Carvalho pediu vistas dos autos. O processo deve retornar à pauta da sessão de julgamentos desta terça-feira, 15. (Atualizada às 08h35 do dia 15/05/18)