Cultura

Foto: Divulgação Sessões em Palmas e Tocantinópolis acontecerão entre os dias 4 e 22 de junho Sessões em Palmas e Tocantinópolis acontecerão entre os dias 4 e 22 de junho

Uma mostra de cinema criada para discutir os Direitos Humanos dentro das escolas e universidades. Esta é a proposta do Cinema em Movimento, Circuito Universitário, que acontece nos meses de maio e junho, nos 27 estados do Brasil. Os filmes escolhidos para esta edição do projeto são Betinho – A Esperança Equilibrista, Humano – Uma Viagem pela Vida, e Nunca Me Sonharam. No Tocantins, as sessões acontecerão nas cidades de Palmas e Tocantinópolis, no campus da Universidade Federal do Tocantins (UFT) e no Instituto Federal do Tocantins (IFTO), de 4 a 22 de junho.

Todas as sessões são gratuitas, abertas ao público e seguidas de debates com acadêmicos, pesquisadores, pessoas ligadas a movimentos sociais, culturais e de direitos humanos. “O debate é algo primordial para o projeto. O nosso intuito é que os filmes sejam fios condutores para, justamente, discutir a respeito da temática que eles abordam”, explicou Tatiana Maciel, coordenadora da Mostra.

Já estão agendadas também, na primeira quinzena de junho, sessões em Boa Vista (RR), Nazaré da Mata (PE), Porto Alegre (RS), Niterói e Rio de Janeiro (RJ), Rio Branco (AC), São Luís (MA) e Macapá (AP).

Realizada pela MPC Filmes, com patrocínio do Instituto Caixa Seguradora, a Mostra conta com um agente mobilizador em cada estado. Trata-se de um universitário selecionado e capacitado pela MPC Filmes, que passa a ser o responsável, em sua cidade, por articular as exibições em instituições de ensino, divulgar o evento, convidar debatedores para compor as mesas de debates, além de relatar cada sessão. No Tocantins, a agente mobilizadora é a produtora e mestranda em Comunicação e Sociedade da UFT, Kécia Ferreira, de 31 anos de idade. Os apoiadores locais são a UFT, por meio da Biblioteca do Campus de Palmas; o Campus da UFT de Tocantinópolis, por meio do Cineclube, do Curso de Ciências Sociais e da Comissão de Implantação do Curso de Direito; o IFTO, por meio da Reitoria e do Campus de Palmas; e a produtora audiovisual Tapioca Tour Entertainment.

“Essa mostra tem como objetivo principal fomentar, no ambiente acadêmico, o diálogo e a reflexão sobre questões de interesse nacional e histórico abordadas nas obras a serem exibidas. Mais do que uma simples exibição de filmes, a mostra é um espaço de ampla comunicabilidade, constituindo-se um eficaz instrumento de divulgação e multiplicação de mensagens”, disse a diretora geral, Luciana Boal.

MPC Filmes

É um produtora carioca com mais de 30 anos no mercado brasileiro e internacional. Fundada em 1982 pelo produtor e diretor Alberto Graça e tendo como sócia a produtora Luciana Boal Marinho, a MPC atua nas áreas de produção e difusão de conteúdo audiovisual.