Educação

Foto: Marcio Vieira O prêmio reconhece o trabalho de professores de escolas públicas que contribuem para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem O prêmio reconhece o trabalho de professores de escolas públicas que contribuem para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem

Educadores de destaque da rede pública de todo o país ainda podem participar da 11ª edição do Prêmio Professores do Brasil (PPB), o prazo de inscrições foi prorrogado e vai até o dia 28 de junho. A iniciativa do Ministério da Educação (MEC) visa reconhecer o trabalho de professores de escolas públicas que contribuem para a melhoria dos processos de ensino e aprendizagem desenvolvidos nas salas de aula. Os vencedores serão conhecidos no dia 29 de novembro, no Rio de Janeiro.

Para participar é preciso produzir um relato de experiência, evidenciando sua qualidade e resultados obtidos, por meio de registro fotográfico ou de vídeo de materiais didáticos produzidos, ou das atividades realizadas com os alunos; estatísticas que demonstrem melhoras nos indicadores educacionais de acesso, de permanência e de rendimento dos alunos envolvidos; matérias publicadas em jornais, revistas e internet.

Categorias e Premiação

O Certame terá premiação estadual, regional e nacional. Os professores podem inscrever relatos nas categorias educação/creche, educação infantil/pré-escola, anos iniciais do ensino fundamental/1°, 2° e 3° anos, anos iniciais do ensino fundamental/4° e 5° anos, anos finais do ensino fundamental/6° ao 9° ano e ensino médio.

O vencedor da etapa estadual receberá um troféu e os 2º e 3º lugares receberão certificados. Na regional, o prêmio para os vencedores será uma viagem oferecida pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), troféu e R$ 7 mil. Na nacional, mais R$ 5 mil e troféu.

 Os professores ainda podem concorrer em uma das cinco categorias das temáticas especiais: O esporte como estratégia de aprendizagem; Uso de tecnologias de informação e comunicação no processo de inovação educacional; Boas práticas no uso de linguagens de mídia para as diferentes áreas do conhecimento no ensino fundamental e médio; Práticas inovadoras de educação científica e Educação empreendedora. Nessas categorias as premiações incluem viagens, prêmios de R$ 5 mil e participação na programação a TV Escola.

Destaques Estaduais

Em 2017, o Tocantins teve grande adesão de professores ao prêmio e apresentou projetos de destaque na categoria estadual. Na categoria Ensino Fundamental: 1º ao 3º ano, o destaque foi para o professor Cosme José Gonçalves Júnior, do Colégio Estadual Sonho de Liberdade, de Araguaína, com o projeto “7 notas para a liberdade”.

Já a categoria Ensino Fundamental: 6º ao 9º ano, tem como vencedora estadual a professora Zenith de Fátima Pereira, da Escola Estadual Marechal Rondon, de Araguaína, com o projeto “Esporte e saber: valores para vencer”. Também de Araguaína, Josenita Felix da Cunha, do Colégio Estadual Professor João Alves Batista, se destacou com o projeto “Sustentabilidade com responsabilidade”.

A professora Erlete Pereira Dias, do Colégio Estadual Santa Maria, da cidade de Santa Maria do Tocantins, foi vencedora da etapa estadual na categoria Ensino Médio, com o projeto “Preservando as margens do Rio Manoel Alves Pequeno”. Também se destacaram dois professores do Colégio Estadual de Lavandeira, Rosana Márcia de Souza, com o projeto English no Walls, e Mariza de Jesus Ferreira, que relatou o projeto “Entre leitura, escrita e reescrita inspirando aprendizagens significativas e reconhecimento nos concursos externos”.

 PPB

O Prêmio Professores do Brasil (PPB) foi instituído em 2005 pelo Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Educação Básica (SEB), e com instituições parceiras. Ao longo das sucessivas edições, foram premiadas diversas experiências bem sucedidas, criativas e inovadoras, desenvolvidas por professores da educação básica pública.

Ao longo de dez edições, o PPB teve participação de 44.286 professores da educação básica de todo o país. Ao todo, 334 foram premiados. Em 2005 e 2007, participaram apenas docentes da educação infantil e dos anos iniciais do ensino fundamental. A partir de 2008, o reconhecimento foi estendido para toda a educação básica, com a inclusão dos anos finais dos ensinos fundamental e médio.