Polí­tica

Foto: Divulgação Polícia Federal na Secretaria da Fazenda Polícia Federal na Secretaria da Fazenda
  • Polícia Federal no Palácio Araguaia nesta segunda

A Polícia Federal (PF) realiza na manhã desta quinta-feira, 14, uma operação policial que investiga supostos crimes eleitorais na campanha da eleição suplementar para governador do Tocantins.

A PF confirmou que equipes da corporação cumprem mandados em secretarias do governo e no Palácio Araguaia. A operação acontece na capital e mais três cidades do interior do estado.

A Polícia Federal não informou quantos mandados estão sendo cumpridos no total. A operação que investiga suposto crime eleitoral por parte do candidato e governador interino Mauro Carlesse acontece a menos de duas semanas do segundo turno da eleição marcado para o dia 24 de junho.

A coligação Governo de Atitude, de Mauro Carlesse, enviou nota à imprensa onde chama a operação de “escândalo” e “teatro” promovido pela coligação adversária - A Vez dos Tocantinenses, de Vicentinho Alves.

Na nota o grupo de Carlesse diz ainda que Vicentinho tenta ganhar a campanha no “tapetão” e que “lamenta que essas velhas práticas ainda sejam utilizadas para tentar ganhar uma eleição”. O comunicado diz ainda que o governador interino está tranquilo e que apoia a investigação, tendo determinado a seus auxiliares que prestem todas as informações solicitadas.

A secretaria de comunicação do estado (Secom) confirmou que a polícia cumpre mandado judicial no Palácio Araguaia e em outras unidades do executivo estadual relativo a um processo que tramita na Justiça Eleitoral e que o Governo do Estado está colaborando com o trabalho da Polícia Federal.

A Secom informou ainda que todas as informações solicitadas foram prestadas com clareza.

A operação ocorre sob sigilo e o Conexão Tocantins continua acompanhando o caso.

Esta é a segunda operação da PF realizada durante o período de campanha. No dia 28 de maio os policiais também cumpriram mandados de busca nas secretarias do governo à procura de documentos que comprovassem a liberação de emendas parlamentares destinadas a projetos culturais a municípios tocantinenses. (Atualizada às 10h28)