Economia

A Companhia de Energia Energisa apresentou na manhã desta terça-feira, 3, durante encontro com a imprensa, um balanço de investimentos, projetos e ações da Companhia no Estado. Na oportunidade também foi explicado sobre o processo de reajuste tarifário que entra em vigor a partir dessa quarta-feira, 4 de julho.

Desde abril de 2014, a empresa investiu mais de R$ 1 bilhão na melhoria dos seus processos. Com esses investimentos foram modernizadas e construídas novas subestações, ampliado o sistema elétrico, realizadas melhorias nas redes de transmissão e distribuição e na qualidade do serviço prestado. Marcio Zidan, diretor-presidente, explicou que “as manutenções preventivas e melhoria da extensão da rede são prioridades, ainda mais num Estado como o Tocantins, que está em pleno desenvolvimento”.

Zidan comentou ainda que a concessionária está modernizando sua operação com a instalação de religadores e implantação do Self-Healing(Rede Inteligente), permitindo as transferências automáticas e oferta de cargas com restabelecimento mais rápido no caso de falta de energia. 

Evolução

O gerente de planejamento e orçamento, Lucas Müller, discorreu sobre o quanto evoluiu a rede depois que Energisa assumiu a distribuição de energia no Tocantins. Ele explicou que em 2014 a partir de abril, quando a Energisa assumiu a concessão do Tocantins o aumento de linhas de transmissão foi de 2.500 para 2.700 kW. E ainda informou que a evolução da Margem de Valor Agregado (MVA) foi de 1.200 para 1.454, ressaltando a quantidade de evolução que a companhia teve nesse curto período.

Em 2017, a Energisa Tocantins foi a distribuidora que mais evoluiu no ranking nacional de qualidade da Aneel. Ela saiu da 19ª para a 12ª posição.

Reajuste Tarifário

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira, 3, o índice de reajuste tarifário das distribuidoras Eletropaulo, Energisa Sul-Sudeste e Energisa Tocantins. A Eletropaulo teve um reajuste de 15,85%. A Energisa Sul-Sudeste foi de 15,55%. Já a Energisa Tocantins, o reajuste foi de 10,13%, ficando abaixo da média nacional, que é de 14,26% e passa a valer a partir dessa quarta-feira, 4 de julho.

No Tocantins permanece na bandeira tarifária vermelha, patamar 2, com acréscimo R$ 5,00 a cada 100 kW. 

O reajuste de tarifa é um processo regulado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), previsto no contrato de concessão da empresa.

Do total do valor reajustado, a maior parte diz respeito à compra de energia e não fica com a distribuidora, neste caso, ela apenas arrecada o valor na tarifa para pagar a compra de energia a agentes geradores. A compra de energia teve impacto maior no reajuste tarifário deste ano, 7,43% em função da situação hidrológica mais seca vivenciada no país nos últimos meses, que provocou maior acionamento de usinas termelétricas, que têm custo de energia mais caro.

Infraestrutura Subterrânea 

Conexão Tocantins quis saber quando a Energisa planeja fazer a mudança da infraestrutura do sistema urbano de fornecimento de energia, - que é feito por cabeamento aéreo - para o sistema de distribuição e fornecimento por cabeamento subterrâneo. De acordo com o gerente de planejamento e orçamento, Lucas Müller, esse tipo de obra é mais específica, "um tipo de rede específica, utilizada em alguns centros densamente habitados, não é necessariamente o caso que a gente tem, e as redes subterrâneas tem outro aspecto relevante que é o custo, quando você não tem opção, ou opção por linha aérea ficaria mais caro, você lança a mão da rede subterrânea que é bem mais cara que essa rede convencional que a gente usa”, analisou. 

Ainda segundo o gerente, não há necessidade de se implantar uma subterrânea no momento, porque a rede convencional atende com o custo mais baixo.

Por: Laila Mariana Salvador

Tags: ANEEL, Energisa, Lucas Müller, Márcio Zidan