Cultura

Foto: Ceila Menezes

Terminou nesta segunda-feira, 6, a Romaria da Sucupira, em Dianópolis, na região Sudeste do Tocantins. Já era madrugada da última sexta-feira, 3, quando romeiros seguiam a pé pela estrada batida, de chão. O destino: o santuário de Nossa Senhora do Rosário, na Sucupira, distante cerca de 35 quilômetros da cidade, na zona rural do município.

Com início no século XIX, a Romaria da Sucupira, já completa mais de 130 anos de tradição. Uma festa que celebra Nossa Senhora do Rosário e Divino Espírito Santo.

A Romaria atrai milhares de romeiros todos os anos e durante quatro dias celebram a festa em homenagem a Nossa Senhora do Rosário e Divino Espírito Santo.

Tradição

Na tradição, as folias do Divino e de Nossa Senhora, percorrem fazendas, sítios e chácaras da região alguns dias antes do início das festividades, marcando o encontro no primeiro dia da festa na Romaria, sempre celebrado na primeira sexta-feira, do mês de agosto.

Todos os anos a festa é marcada pela chegada das folias, levantamento dos mastros em honra à Nossa Senhora do Rosário e ao Divino Espírito Santo, missas, coroação de Nossa Senhora, batizados, Reinado do Divino, terço cantado, finalizando com a missa dos romeiros na segunda-feira. A festa conta com Imperador e Imperatriz de Nossa Senhora e do Divino, alferes e mastreiros.

Esse ano, a Romaria reuniu cerca de 4 mil pessoas durante os quatro dias de festa. Famílias, que todos os anos se reúnem para participar das missas, festividades e leilões, preservando e valorizando a cultura local.

Objeto de Pesquisa

A tradição e a fé do povo, que há muitos anos reúnem-se na Sucupira, foi objeto de pesquisa do historiador, Weverson Cardoso de Jesus, que desenvolveu sua pesquisa de mestrado pela Universidade Federal do Goiás, dentro da história da Romaria. “A história da região é marcada pela fé, pela religiosidade, o que despertou em mim, a vontade, o desejo de saber mais sobre a Romaria. Essa pesquisa trouxe não só para mim, mas para a comunidade de Dianópolis, o resgate da história desta tradição que já alcança mais de um século”, disse.

Na pesquisa, o historiador revela que, a Romaria começou logo após um vaqueiro encontrar uma imagem de Nossa Senhora do Rosário, em galhos de uma árvore “sucupira”. Em seguida, o vaqueiro teria levado a imagem para a fazenda de um conhecido nas proximidades, porém, a mesma desaparecia, sendo encontrada novamente no mesmo lugar, nos galhos da árvore onde teria sido achada pela primeira vez.

Após essa descoberta e o mistério do ressurgimento da imagem, moradores da região, decidiram construir uma capela, demarcando o local onde a imagem teria sido encontrada, fato que a partir daí, dava-se início à Romaria, onde moradores de toda região, seguiam a pé, ou a cavalo para rezar aos pés da imagem.