Estado

Foto: Carlessando Souza

Segundo os dados do Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), dos 139 municípios tocantinenses, 133 possuem comunidades tradicionais ou específicas. Visando conhecer e garantir uma prestação de serviços sociais a comunidades tradicionais e específicas do Tocantins, a Secretaria Estadual do Trabalho e Assistência Social (Setas) convidou outras secretarias de Estado e a Fundação Nacional do Índio (Funai) para uma reunião na manhã desta quarta-feira, 8. 

O encontro possibilitou conhecer os trabalhos desenvolvidos e juntar esforços para elaboração de um instrumental que auxilie a conhecer melhor as demandas desta população. A previsão é que um mapeamento das comunidades comece a ser realizado a partir de outubro deste ano.

Para a assessora especial da Gestão do Sistema Único de Assistência Social, Whátila Mota, a reunião mostrou que trabalhar em conjunto era o anseio de todos os presentes. “Quando a saúde indígena vai realizar um atendimento em uma comunidade, por exemplo, percebe que há muitas outras necessidades. Trabalhar em conjunto é atender de fato a população com o que ela precisa”, comentou. 

A possibilidade de agregar ações sociais às ações de cultura foi o que destacou a superintendente de cultura, Noraney Castro. “Estamos desenvolvendo um trabalho nos municípios sobre as festas tradicionais e percebemos que podemos agregar a este trabalho ações de cunho social. Assim podemos fazer acontecer às políticas publicas das comunidades tradicionais e especificas”, afirmou.

Participaram da reunião Setas, Funai, Secretaria da Saúde e Secretaria da Educação e Cultura. Uma nova reunião foi marcada para o dia 24 de agosto, na Secretaria do Trabalho e Assistência Social (Setas).

Comunidades Tradicionais e Específicas

Atualmente, o Cadastro Único identifica 16 grupos populacionais com características socioculturais ou em situações específicas de vida. Sendo eles: indígenas, Quilombolas, Resgatados do trabalho análogo ao de escravo, Ciganos, extrativistas, pescadores artesanais, ribeirinhos, agricultores familiares, dentre outros.