Polí­tica

Foto: Divulgação

O candidato a vice-governador Wanderlei Barbosa (PHS), da coligação Governo de Atitude, rebateu as críticas do ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha, sobre o sistema de Saúde do Estado. Ele lembrou que Amastha não tem credibilidade para fazer as críticas, uma vez que não conseguiu nem ao menos cumprir suas promessas feitas para a população de Palmas, como a construção do Hospital de Urgência da Capital.

Quando foi candidato à Prefeitura de Palmas no ano de 2012, uma das principais promessas de Amastha era a construção de um hospital para o atendimento de acidentados. Seis anos depois, a obra nunca saiu do papel. “Em Palmas, existem apenas UPAs [Unidades de Pronto Atendimento] que fazem o atendimento à população. Com isso, grande parte das demandas é encaminhada ao HGP [Hospital Geral de Palmas], sobrecarregando a unidade. Se o Hospital de Urgência não fosse apenas uma promessa de Amastha, o HGP seria destinado para a função ao qual foi construído, que é o tratamento de alta complexidade e de cirurgias eletivas”, afirmou Wanderlei.

Atualmente, o Governo mantém cessão de 78 servidores entre médicos, enfermeiros, cirurgiões dentista, técnicos de enfermagem, dentre outros, cedidos à Prefeitura de Palmas e custam quase R$ 900 mil ao mês aos cofres públicos do Estado. O Governo autoriza essas cessões para que o município reforce os trabalhos do atendimento básico de saúde aos cidadãos.

Melhorias no Sistema de Saúde 

“Neste pouco tempo em que assumimos o Governo, já fizemos muitas mudanças na saúde pública. Entre elas, podemos citar o fim das filas nos corredores do HGP; a implantação do Opera Tocantins, para zerar as filas de cirurgias eletivas; o retorno da construção do Hospital Geral de Gurupi [HGG]; a finalização de reformas de vários hospitais regionais; a conclusão da Unidade de Terapia Intensiva [UTI] neonatal de Araguaína; entre outras tantas obras. E o Amastha fez o que? Não conseguiu nem cumprir as promessas que fez para a população de Palmas nesta área”, criticou Wanderlei.

O vice-governador pontuou também que existe uma forte incoerência no discurso de Carlos Amastha. “Se o sistema de Saúde do Estado é tão ruim, por que cerca de 40% dos pacientes do HGP são encaminhados pelas UPAs de Palmas? Talvez seria melhor o ex-prefeito colocar a mão na sua consciência antes de propagar inverdades no seu programa eleitoral”, disse.

Wanderlei Barbosa afirmou que ao contrário de Amastha, a coligação Governo de Atitude, encabeçada pelo Governador Mauro Carlesse (PHS), não fica apenas nas propostas, mas sim mostrando do que é capaz de fazer. “Isso está refletido em todas as pesquisas. A população sabe que a continuidade do Governo Carlesse fará com que o Estado continue andando sem interrupções. É isso que está deixando Amastha desorientado, fazendo com que não carregue o apoio mesmo entre aqueles que deveriam estar ao seu lado”, concluiu.