Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Polí­tica

Foto: Lucas Nascimento

O Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO) julgou nesta sexta-feira, 14, improcedente a ação de impugnação do Demonstrativo de Regularidade de Atos Partidários (Drap) movida pelo candidato a governador Carlos Amastha (PSB), por meio da sua coligação A Verdadeira Mudança contra a coligação Frente Alternativa encabeçada pelo candidato a governador Márlon Reis (Rede).

Para Márlon Reis, o Tribunal Regional Eleitoral fez justiça ao julgar “totalmente improcedente o pedido de impugnação feito pelo candidato Amastha à minha candidatura e à candidatura de líderes valorosos do PCdoB e do PTB”.

Segundo Márlon Reis, o candidato do PSB demonstra total desrespeito com a legislação, com os candidatos e principalmente com o eleitor, “pois tenta de forma ardilosa atacar nossa candidatura usando de artifícios infundados como foi esse do pedido de impugnação”, afirmou em nota.

Para Márlon Reis a tentativa de impugnação comprovou o desequilíbrio emocional de Carlos Amastha que, segundo ele, “na campanha suplementar beijava cachorro na rua, tentando ser popular, e agora coloca terno e gravata tentando demonstrar seriedade. Afinal, o verdadeiro Amastha ninguém sabe quem é”, alfineta.

 Márlon Reis é candidato ao Governo do Estado pela Frente Alternativa (Foto: Ademir dos Anjos)

Segundo o candidato a governador pela Rede Sustentabilidade, o povo do Tocantins está “cansado de ser enganado por políticos desse tipo. É hora de dar um fim a essas práticas e tratar o povo com o respeito que ele merece”, afirma Márlon Reis.

Entenda

A coligação Frente Alternativa de Márlon Reis é composta pelas seguintes siglas: PTB, PCdoB, Rede, PV, PDT, PT, PRTB e PSD, sendo que PTB e PCdoB deixaram de apoiar Carlos Amastha, para ingressar na coligação de Reis.

Inconformado, Carlos Amastha, por meio de sua coligação, ingressou no dia 21 de agosto com um pedido de impugnação da chapa de Márlon Reis, argumentando que as atas partidárias foram fraudadas para indicar o ingresso do PCdoB e PTB na coligação Frente Alternativa em tempo hábil no dia 5 de agosto.

A coligação de Márlon Reis contestou, demonstrando a legalidade dos documentos partidários.

Confira abaixo a nota de Márlon Reis na íntegra

“O Tribunal Regional Eleitoral fez justiça ao julgar totalmente improcedente o pedido de impugnação feito pelo candidato Amastha à minha candidatura e à candidatura de líderes valorosos do PCdoB e do PTB.

Amastha demonstra total desrespeito com à legislação, com nossos candidatos e principalmente com o eleitor, pois tenta de forma ardilosa atacar nossa candidatura usando de artifícios infundados como foi esse do pedido de impugnação.

Isso só comprova o desequilíbrio emocional desse candidato que na campanha suplementar beijava cachorro na rua, tentando ser popular, e agora coloca terno e gravata tentando demonstrar seriedade. Afinal, o verdadeiro Amastha ninguém sabe quem é.

O povo do Tocantins está cansado de ser enganado por políticos desse tipo. É hora de dar um fim a essas práticas e tratar o povo com o respeito que ele merece”

Marlon Reis

Candidato ao Governo do Tocantins