Meio Ambiente

Foto: Aldaíres Pacheco

O resultado dos exames do material coletado na água e na areia da Praia das Arnos em Palmas deverá ficar pronto em 30 dias. A informação é do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) que, juntamente com a Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) realizaram a coleta neste fim de semana.

As amostras foram coletadas em oito pontos diferentes na água e na faixa de areia para identificar qual é a causa da substância de aparência escura e forte mau cheiro que apareceu na água há cerca de uma semana e tem afastado os frequentadores do local.

A praia foi interditada pela Prefeitura de Palmas. O banho e qualquer outra atividade que envolva contato direto com a água, como a prática de esportes náuticos, estão proibidos no local até que a análise das coletas seja concluída. Segundo a Prefeitura, a interdição foi adotada com base na resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). Apesar da interdição da água, a praia continua aberta e o comércio no local funciona normalmente.

A presidente da associação de comerciantes do local, Elizabete da Silva, disse que o problema ambiental tem afastado os visitantes da praia e causado prejuízos aos comerciantes. “Estamos tendo prejuízos porque nossas vendas caíram muito. Esperamos que esse problema seja resolvido o mais breve possível”, declarou a presidente.

Os comerciantes da Praia das Arnos também se queixam de, até o momento, não terem recebido qualquer informação da prefeitura a respeito do problema.

A prefeitura de Palmas comunicou que só irá se manifestar a respeito do assunto quando as análises ambientais forem concluídas.