Polí­cia

Foto: Divulgação/ SSP Gilmar da Autoescola era um dos chefes do esquema que fraudava CNHs Gilmar da Autoescola era um dos chefes do esquema que fraudava CNHs

A prisão preventiva do vereador de Araguaína Gilmar Oliveira Costa (PSC) - conhecido como Gilmar da Autoescola - foi prorrogada por mais 5 dias. De acordo com o Ministério Público, a prorrogação do prazo foi pedida até que se finalizem as investigações. O caso, de acordo com o MPE, é complexo e diversos documentos apreendidos no gabinete do vereador ainda estão sob análise.

O vereador está preso desde o último dia 13 quando uma operação comandada pelo Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) desvendou um esquema criminoso de venda de carteiras de habilitação em Araguaína. Dono de uma autoescola, Gilmar era um dos operadores da fraude e chegava a cobrar até R$ 4 mil por documento.

Outras oito pessoas, incluindo um outro dono de autoescola e seis servidores da Ciretran de Araguaína, também foram presas pela Polícia Civil durante a operação.

Entenda

As investigações do Gaeco começaram em 2016. O esquema criminoso foi desvendado graças à infiltração de dois agentes da Polícia Civil que se passaram por “clientes” que tentavam comprar CNHs junto ao grupo.

Na fraude, os interessados em fazer a carteira pagavam pelo documento valores entre R$ 3 mil e R$ 4 mil e obtinham a CNH sem fazer nenhum tipo de teste ou prova. Os donos das autoescolas - incluindo o vereador Gilmar - negociavam com os interessados e também faziam contato com os servidores da Ciretran que operavam o esquema de dentro do órgão.