Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Esporte

Foto: Dornil Sobrinho

Foto: Dornil Sobrinho

A 1º edição dos Jogos Inclusivos do Tocantins (JITO) teve início na sexta-feira, 1º de outubro, e encerrou nesse último domingo, 3, com a participação de 20 paratletas portuenses. O evento, que foi organizado pelo Instituto Reviver, com apoio da Prefeitura de Porto Nacional e parceiros, aconteceu em Palmas, na Praia da Graciosa. 107 paratletas das cidades de Porto Nacional, Palmas, Gurupi, Monte do Carmo, Miracema e Imperatriz do Maranhão participaram da competição.

A programação iniciou com a disputa do tênis em cadeira de rodas, seguida de tênis de mesa, parabadminton, tênis, atletismo e natação. O encerramento, neste domingo, foi com a modalidade basquete em cadeira de rodas e bocha. A presidente do Instituto Reviver, Soraia Tomaz, falou sobre a demonstração da paracanoagem pelo professor Diego Vianna e disse que “ele veio incentivar o pessoal a praticar a canoagem, também tivemos a demonstração do ciclismo com o atleta Adevaldo Neves (explosão), que é o nosso atleta representante do paraciclismo de Miracema”, explicou.

Capitão Diógenes Gonçalves, secretário municipal de esportes e lazer, discorreu sobre o intuito dos Jogos Inclusivos do Tocantins e destacou que “todos os atletas da competição são premiados com medalhas, tendo em vista que os jogos tem o intuito de incentivar, no entanto nas provas de corrida é feita a tomada de índice que serve para que os atletas, que já são de alta performance, disputem campeonatos nacionais. O projeto Reviver não foca nas deficiências e sim nas potencialidades, o que se deseja é mostrar que os atletas que possuem deficiência têm um potencial enorme e só precisam de oportunidades para explorar suas habilidades. Os atletas portuenses se destacaram nessa primeira edição dos jogos, conquistando boas colocações”, pontuou. 

Sinélida Fonseca, mãe da portuense Lorena Fonseca, que é destaque no atletismo, acompanhou com empolgação os jogos e contou como o cenário tem se tornado mais favorável aos paratletas. “Tínhamos uma dificuldade muito grande tanto para minha filha quanto para os demais atletas de ir aos treinos, já que somos de Porto Nacional e eles treinam em Palmas. Chegávamos muito tarde em casa, devido ao deslocamento complicado, hoje somos assistidos pelas secretarias municipais de esportes e lazer e a secretaria de saúde, que disponibilizam uma van que transporta os atletas para treinarem em Palmas duas vezes por semana, sempre às quintas e sábados”, relatou. 

A mãe de Lorena ainda falou do desenvolvimento que sua filha vem apresentando nos últimos meses. “Em todas as áreas a Lorena desenvolveu-se no físico, no psicológico. O esporte é tudo na vida dela e como mãe, eu estou muito feliz pelas conquistas que ela vem obtendo. Eu só tenho a agradecer ao Instituto Reviver e a prefeitura municipal de Porto Nacional, em nome do secretário Diógenes Gonçalves e da secretária Lorena Martins”, destacou.

O atleta Clésio Soares, que disputou a modalidade basquete em cadeira de rodas, falou emocionado da superação alcançada por meio do esporte. “A gente supera os nossos limites exatamente nessas oportunidades que temos de mostrar a nossa capacidade nas competições. O mais importante não é ganhar, mas competir e mostrar o melhor de nós para todos. Agradeço muito a prefeitura municipal de Porto pela parceria especial com o Reviver, tem nos beneficiado muito”, frisou.