Polí­tica

Foto: Divulgação O site noticiou que o parlamentar teria chamado professores, ASGs e enfermeiros de cabos eleitorais O site noticiou que o parlamentar teria chamado professores, ASGs e enfermeiros de cabos eleitorais

O deputado estadual Wanderlei Barbosa (PHS) pronunciou na Assembleia Legislativa do Tocantins para negar que tenha chamado professores, Auxiliares de Serviços Gerais (ASGs) e enfermeiros exonerados na última terça-feira, 24, pelo Governo do Estado, de cabos eleitorais. Segundo o parlamentar, a informação, que chegou a ser veiculada na imprensa, é tendenciosa e falsa.

Wanderlei Barbosa pontuou que o Governo precisou adotar medidas para cumprir a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) por determinação do Ministério Público Estadual (MPE) e dos órgãos de controle como o Tribunal de Contas do Estado (TCE). Disse ainda que as exonerações têm o objetivo de detectar quem de fato está trabalhando, e que os servidores poderão ser recontratados.

Nesta quinta-feira, 26, ao retomar o assunto, Wanderlei, esclareceu seu pronunciamento do dia anterior e reiterou o comprometimento e responsabilidade com os servidores públicos.

O parlamentar, ciente da sua contribuição com a classe trabalhadora, não concorda com a retirada de professores e profissionais de saúde e está lutando junto ao governo para que seja retornado aos seus postos de trabalhos o mais rápido possível. “Professor fora da sala de aula não vai melhorar a vida de nenhum político”, disse.

Na oportunidade, o deputado pediu aos secretários de Educação e Saúde, que nenhum profissional que esteja prestando serviço seja retirado de seus postos de trabalho e se foram que sejam recolocados.

O parlamentar reafirmou que nunca votou contra o funcionário público e nem a favor de aumento de tributos. O parlamentar mantém sua posição e garante que nunca trabalhou pela demissão de qualquer servidor público e sim pelo preenchimento dos postos de trabalhos o mais rápido possível.