Polí­tica

Foto: Divulgação A reunião foi para elaborarem um projeto com soluções para o mau cheiro da ETE Bertaville A reunião foi para elaborarem um projeto com soluções para o mau cheiro da ETE Bertaville

O vereador Lúcio Campelo (PR) reuniu-se nesta última quinta-feira, 10, na sede da BRK Ambiental, com os diretores da empresa. A reunião foi para elaborarem um projeto com soluções para o mau cheiro da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do setor Bertaville. A ação é parte do requerimento apresentado pelo vereador no dia 19 do mês passado, que busca levar soluções para o problema enfrentado pelos moradores da região.

“As notícias com a BRK foram boas, elaboramos um cronograma de trabalho, e já para esse ano será instalado equipamentos que amenizam os gases do mau cheiro sobre as lagoas de decantação”, disse Lúcio Campelo. A medida é um esforço inicial em trazer uma solução mais rápida para o problema, algo que a população tem reclamado com frequência quando buscam atendimento no gabinete do vereador.

No cronograma elaborado durante a reunião, foi acordado a construção de uma nova estação no local, mais moderna e que não emite os gases causadores do mau cheiro. De acordo com o vereador, o prazo para a construção é de 2 anos e meio e o investimento será de R$ 60 milhões para a ETE.

Tecnologia

Uma nova tecnologia será implantada na estação, ainda utilizada em poucos lugares do mundo, dando a oportunidade de Palmas ser uma das primeiras cidades a receber esse incremento tecnológico. “A BRK informou que essa ETE irá modernizar o processo de tratamento de esgoto, usando maquinário que não emiti gases fétidos”.

Problema Antigo

A ETE em questão foi construída no ano de 1992, e na época não existiam moradias próximas à região que hoje é o bairro Bertaville. Com o avanço de loteamentos, e também pela tecnologia ultrapassada da estação, o convívio com o mau cheiro tornou-se um problema, que vai desde a questão da saúde, pelos gases emitidos no processo, até a desvalorização de imóveis na região, conforme relataram moradores.

“Fora o problema da estação, existe um outro fator que contribui para espalhar o mau cheiro, que são os ventos, levando o problema para bairros distantes do Bertaville, como União e Aureny III. O processo de mudança tem que ser gradual, a atual estação não pode parar de operar, pois atende mais de 30 mil habitantes da região sul”, esclareceu o vereador.

Região Norte

A região norte da cidade, por sua vez, enfrenta outro sério problema, que é a falta de agua tratada para as mais de 500 famílias que moram nos bairros Sonho Meu, São Francisco, Jaú e Rancho Diamante. Na reunião com a BRK, foi informado que todos os equipamentos e materiais para instalação da rede de distribuição estão prontos, mas a prefeitura de Palmas tem criado dificuldades para o inicio das obras.

“Todas aquelas famílias estão nesse momento sem o mínimo, que é o acesso a agua tratada, questão fundamental na saúde pública. A informação que temos é que a prefeitura não está querendo emitir as licenças ambientais necessárias, e agora vamos procurar os responsáveis para agilizar essa liberação e assim levar agua tratada para essa parte da cidade”, finalizou o vereador.