Polí­tica

Foto: Divulgação Para Mário Lúcio nenhum postulante ao cargo de governador vai conseguir resolver todos os problemas do Tocantins em seis meses Para Mário Lúcio nenhum postulante ao cargo de governador vai conseguir resolver todos os problemas do Tocantins em seis meses

Na manhã desta quarta-feira, 23, o candidato ao Governo do Estado na eleição suplementar do dia 3 de junho para o mandato tampão, Mário Lúcio Avelar (Psol), reuniu-se com representantes da indústria a convite da Federação da Indústria do Estado do Tocantins (Fieto), em Palmas/TO, para debater seus planos e projetos para o Tocantins nos próximos seis meses. O candidato foi recebido na 5ª edição do Café & Política realizado na sede da Federação. 

A programação foi aberta pelo presidente da Fieto, Roberto Magno Martins Pires, que destacou entraves que precisam ser combatidos para o desenvolvimento industrial, tais como investimento insuficiente em infraestrutura, alta carga tributária, participação da indústria no PIB e concentração dos empregos na máquina pública. “Um Estado que já chegou a investir 35% da receita líquida em infraestrutura, chega a um investimento perto de zero. A participação do nosso PIB da indústria aqui no Estado também vem diminuindo e hoje é de 18%, sem contar que mais de 42% dos empregos estão ancorados na máquina pública. Não há condições de desenvolvimento com um cenário deste”, citou o presidente acerca dos principais gargalos do Estado e reforçando a defesa pela indústria da transformação.

Na sabatina com os industriários, o candidato falou sobre a situação difícil pela qual o Estado passa e propôs uma união com o setor privado para resolver a crise. “É impossível desenvolver o Tocantins se o Estado não fizer o que cabe a ele. Mas precisamos também fazer uma união com a inciativa privada para fomentar a geração de emprego e renda na nossa sociedade. Isso passa por uma via de mão dupla. É necessário que o Governo ofereça um sistema tributário justo, que as pessoas voltem a consumir e que a indústria volte a produzir. Não podemos apenas pensar nos interesses próprios, chegou a hora de pensar no todo”, conclamou o candidato.

Para Mário Lúcio nenhum postulante ao cargo de governador vai conseguir resolver todos os problemas do Tocantins em seis meses, mas é preciso que os gestores tenham compromisso com o bem-estar social da população. “É necessário que a sociedade tenha coragem de ousar, precisamos eleger alguém de fora desse sistema que aí está, alguém que tenha coragem, que tenha o compromisso de tirar o estado dessa situação de miséria e de atraso”, disse.

Segundo o candidato, é preciso enfrentar os políticos tradicionais que se alojam no poder, nas instituições e se valem delas para defender seus interesses privados perante o Estado. "Eu me refiro especificamente à Assembleia Legislativa, que é um covil de deputados que não fazem outra coisa a não ser pensar nos seus interesses pessoais, não se importando com o prejuízo que isso causa ao Estado. Temos que enfrentar essa situação, esse gargalo e esse ciclo vicioso de políticos que são eleitos, que buscam o poder, se enriquecem no poder, que fazem da política sua eterna profissão, perpetuando essa estrutura de dominação, de manutenção de cabos eleitorais, de corrupção que se auto alimentam e se auto reproduzem. O Brasil tem jeito, o Tocantins tem jeito. Mas é preciso encontrarmos uma situação política que seja capaz de superar esse subdesenvolvimento”, complementou Mário Lúcio.

Café & Política

Mário Lúcio Avelar é o 5º candidato recebido no Café & Política. Amanhã, 24/05, é a vez da candidata Kátia Abreu, seguida de Marcos Souza no dia 25/05, encerrando as edições do evento realizado a partir de 7h30. Carlos Amastha, Mauro Carlesse, Marlon Reis e Vicentinho Alves participaram das quatro primeiras edições entre 15 e 18/05. O Café & Política integra a agenda de eventos realizados pela Fieto com foco no processo eleitoral, a exemplo do Governadoráveis e Prefeituráveis que reuniu os candidatos para uma exposição ao público industrial nas últimas eleições (2014 e 2016). (Com informações da Ascom Fieto)