Polí­tica

Foto: Guilherme Paganotto

O presidente da Câmara de Palmas, vereador José do Lago Folha Filho (PSD) participou na manhã desta última quarta-feira, 27, de uma reunião na Feira da 304 Sul, que contou com a presença de representantes da Promotoria de Justiça, Vigilância Sanitária Estadual e Municipal, Sebrae, Prefeitura, e pequenos produtores rurais. Em pauta estava o comércio clandestino de produtos de origem animal, como peixes e aves, pelos feirantes.

Os pequenos produtores querem maior facilidade para adequar a produção e por isso foram discutidas medidas para flexibilizar o acesso dos produtores aos frigoríficos, ou aos recursos para a instalação de micro indústrias e criação de cooperativas. Na ocasião também foram debatidas formas de coibir o comércio ilegal destes produtos.

Folha afirmou que a Câmara Municipal não ficará contra os produtores e que está à disposição para auxiliar no que for necessário para solucionar o problema. “O cidadão simples não tem condições financeiras para instalar um frigorífico, uma micro indústria. É preciso planejamento, desenvolvimento de cooperativas. A Câmara vai dar sua parcela de contribuição no que for preciso”, destacou.

O presidente da Casa de Leis também ressaltou o importante trabalho realizado pela Vigilância Sanitária do Município. “Os fiscais tem esse papel de observar para que nós tenhamos na mesa produtos de qualidade. Tenho certeza que a intenção deles é dar condições para a venda desses produtos”, pontuou.

Para o secretário municipal de Desenvolvimento Rural, Roberto Sahium, o problema não é de fiscalização, mas de ordem econômica. Ele cobrou participação do governo estadual no processo de regularização da produção dos pequenos produtores rurais.

O secretário destacou ainda que as feiras da Capital já passam por adequações. “Estamos adequando todas as feiras e discutindo com os feirantes sobre essas questões. Nosso problema é a falta de indústrias. A prefeitura faz muito com poucos recursos, enquanto o Estado arrecada, recebe verbas federais e tem mais condições de ajudar os produtores”, ressaltou.