Polí­cia

Foto: SSP/TO

Uma ação conjunta de combate à criminalidade deflagrada no final da tarde dessa quinta-feira, 28, pela 13ª Delegacia Regional de Miracema em conjunto com a Polícia Civil do Rio de Janeiro, através da Delegacia de Descoberta de Paradeiros resultou na prisão de Yan Figueiredo Moulaz de Lima, 24 anos.

Ele é suspeito pela prática de crime de homicídio e ocultação de cadáver e foi capturado, mediante cumprimento a mandado de prisão preventiva oriundo da Comarca do Município do Rio de Janeiro, quando se encontrava em uma residência, no Setor Filadélfia.

Conforme o delegado regional Clecyws Antônio de Castro Alves, há alguns dias, os policiais civis da Delegacia de Miracema receberam um e-mail informando que um foragido do Rio de Janeiro suspeito de praticar um homicídio naquela cidade, estaria escondido no município tocantinense.

De imediato, os investigadores da Polícia Civil iniciaram as buscas e, em conjunto com policiais civis da Delegacia de Descoberta de Paradeiros/RJ, localizaram o paradeiro do indivíduo, o qual estava escondido em uma residência, no Setor Filadélfia.

Desse modo, os policiais civis do Tocantins e do Rio de Janeiro foram até o local e efetuaram a prisão de Yan. Ainda de acordo com o Delegado Clecyws, o homem é suspeito de assassinar e ocultar o corpo de um homem, no município do Rio de Janeiro, no mês de novembro de 2017, com o objetivo de subtrair R$ 195 mil reais da vítima, com a qual mantinha um suposto relacionamento afetivo.

Ainda segundo apontaram as investigações da Polícia Civil do Rio de Janeiro, o corpo da vítima foi encontrado enterrado em uma favela carioca, semanas depois do crime já em avançado estado de decomposição. Após cometer o crime, Yan fugiu para o Estado do Tocantins e, atualmente, estava morando há quatro meses em Miracema.

Após ser preso, o homem foi recolhido à Cadeia Pública local, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário da Comarca do Rio de Janeiro, município para onde deve ser recambiado, nos próximos dias, a fim de que possa responder pelos crimes dos quais é acusado.