Polí­cia

Foto: Polícia Civil Iury Mendanha e Silas Borges, acusados pela morte de Patrícia Aline Iury Mendanha e Silas Borges, acusados pela morte de Patrícia Aline

O delegado da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), Israel Andrade, deu por concluída a investigação do caso do assassinato da consultora de beleza Patrícia Aline Santos, 29. Os dois acusados pelo crime, o ex-namorado da vítima, Iury Italu Mendanha, e o amigo dele, Silas Barreira Borges, serão indiciados por feminicídio - quando a mulher é morta em razão do gênero.

Os suspeitos foram ouvidos novamente pela polícia que encontrou contradições nos depoimentos de ambos. Uma destas contradições diz respeito à arma utilizada no crime. Apesar da polícia ter encontrado o revólver no carro do suspeito nesta quinta-feira, 16, os dois acusados dizem que jogaram o revólver fora.

O delegado revelou que tal atitude demonstraria uma tentativa de atrapalhar o trabalho de investigação da polícia. “Tivemos que revirar o carro à procura, mas estava na traseira do veículo, no assoalho. Isso mostra o tanto que esses dois indivíduos não estão dispostos, mesmo depois desta barbaridade, em colaborar com a justiça”, declarou Andrade.

 Arma usada no crime foi encontrada escondida na traseira do veículo sob o assoalho, contrariando depoimentos dos suspeitos que dizem ter jogado o revólver fora

Depoimentos

Quando foram presos na última terça-feira, 14, em Campos Lindos Iury e Silas foram levados para Araguaína onde chegaram a prestar um depoimento preliminar. Silas ficou calado, mas Iury confessou o crime à polícia.

Já em Palmas, em depoimento ao delegado responsável pelas investigações, a situação se inverteu. Iury ficou calado e foi Silas quem deu sua versão sobre os fatos. De acordo com o delegado, Silas revelou que no dia do crime foi à casa de Patrícia juntamente com Iury, mas que teriam saído do local para ir para a um bar. Segundo Silas, o crime teria acontecido no meio do caminho. “Silas até acreditou que eles iriam se reconciliar, mas em um determinado momento enquanto eles se dirigiam para este bar na Praia da Graciosa, a Patrícia teria confessado uma traição e aí nesse momento o Iury ficou muito bravo, pegou a arma que estava debaixo do banco, deu a volta. Quando ele estava dando a volta no carro a Patrícia pulou o banco do motorista e saiu pela porta do motorista, segundo o Silas. Neste momento o Iury efetuou quatro disparos. Ele disse que apenas ouviu os disparos. Disse que o Iury entrou no carro e pediu que ele assumisse a direção do veículo e foram viajar. Na ponte do Luzimangues o Iury teria jogado a arma e as munições fora”, revelou o delegado.

O delegado disse ainda que acredita que o crime tenha sido premeditado, ao contrário do que dizem os acusados, devido ao fato de encontrar no veículo no qual fugiram, malas e peças de roupas. “Se nós observarmos dentro do carro, foi encontrada uma mala grande cheia de roupa, vários sapatos e pertences dos autores. Ninguém comete um crime desse já preparado pra fugir se não for algo premeditado”, informou.

Iury e Silas já estão presos na Casa de Prisão Provisória de Palmas onde devem permanecer até sair a decisão judicial sobre o caso.

Crime

O corpo de Patrícia foi encontrado no dia 9 de agosto em um matagal na quadra 107 Norte em Pamas. O ex namorado foi tido como principal suspeito desde o início das investigações devido ao relacionamento conturbado que os dois mantinham.

Amigas da vítima chegaram a revelar conversas nas quais Patrícia relatava ameaças e agressões. Durante as buscas por Iury, que chegou a ficar foragido por quase uma semana, a polícia encontrou armas e munições na casa do acusado.