Palmas

Foto: Divulgação

Foi lançado, na manhã desta terça-feira, 21, a Operação Integrada de Fiscalização aos Incêndios Florestais na Capital. A ação envolve todas as instituições do Comitê Estadual de Combate a Incêndio Florestal e Controle de Queimadas no Estado do Tocantins (Comitê do Fogo) que atuam, diretamente, com a área de fiscalização às queimadas, em Palmas e em todo o Estado.

“A operação é muito importante, pois estamos em um período muito crítico do ano, onde, além da prevenção e do combate que estão sendo feitos pelos órgãos que compõem o Comitê do Fogo, haverá também um trabalho mais intenso de repressão às queimadas que se trata de um crime ambiental. É um momento de sair a campo e fiscalizar as pessoas que infringem a lei e estão, muitas vezes, realizando queimadas não autorizadas e, com isso, trazendo graves consequências ao nosso meio ambiente com queimadas totalmente descontroladas”, enfatizou o Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins (CBMTO) e coordenador estadual de Proteção e Defesa Civil, coronel Reginaldo Leandro da Silva.

O evento ocorreu no pátio do Quartel do Corpo de Bombeiros Militar, Quadra 403 Sul, Avenida LO 09, com NS 05, às 8h30, pista do antigo Aeroporto, em Palmas, e contou com a participação da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec-TO), do Ministério Público Estadual (MPE), do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), do Batalhão de Polícia Ambiental Estado do Tocantins (BPMA-TO), do Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Contra o Meio Ambiente (Dema), do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), do 22º Batalhão de Infantaria do Exército Brasileiro, do Guarda Metropolitana de Palmas (GMP)  Ambiental, da Fundação Municipal de Meio Ambiente (FMA) de Palmas e da Organização Não-Governamental (ONG) Água Doce da Capital.

“O Ministério Público está tentando fazer um programa piloto, a partir da Capital e depois alcançar todo o Estado do Tocantins e conseguirmos diminuir as estatísticas negativas em relação às queimadas. A união de todos órgãos de fiscalização é imprescindível, por isso vamos transformar o material operacional em punições àqueles que não respeitam a legislação”, destacou Pedro Geraldo Cunha de Aguiar promotor ambiental do MPE.  

Para facilitar a autuação dos infratores a operação contará com o apoio do helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas do Tocantins (Ciopaer) da Secretaria de Segurança Pública (SSP). “O helicóptero tem alcance e visibilidade maiores e a capacidade de chegar de maneira mais rápida em locais íngremes, ajudando também a autuarmos os infratores que insistem em cometer esse crime [queimadas] contra o meio ambiente”, explicou o presidente do Comitê do Fogo e superintendente da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec-TO), tenente-coronel Geraldo da Conceição Primo.