Economia

Foto: Divulgação

Demora no atendimento a clientes e usuários do sistema bancário e a falta do exemplar do Código de Defesa do Consumidor nas agências bancárias foram algumas das infrações identificadas pelo Procon Tocantins durante fiscalização realizada em diversas agências nos dias 10 a 14 de setembro.

A fiscalização ocorreu em nove municípios: Palmas, Porto Nacional, Gurupi, Dianópolis, Guaraí, Colinas do Tocantins, Tocantinópolis, Araguatins e Araguaína. Ao total foram lavrados 12 autos de infração, sendo dois pela ausência do CDC e 10 por extrapolar o tempo limite para o atendimento conforme determina a legislação de cada município.

Em Palmas, a equipe do Procon encontrou um cliente em uma agência da Caixa Econômica Federal que aguardou 1h22min para ser atendido. De acordo com a Lei Municipal da Capital nº 1.047/2001, o tempo máximo em fila de banco é de 20 minutos em dias normais e 30 minutos na véspera ou após feriados prolongados e em dias de pagamento do funcionalismo público. 

O superintendente do Procon/TO, Walter Nunes Viana Junior, destacou que é importante o   consumidor procurar o órgão para fazer a reclamação. “O Procon está atento e atuante. Além das nossas ações, o consumidor que identificar alguma irregularidade que viole seus direitos, deve procurar o Procon. Vamos usar os mecanismos legais disponíveis para coibi-los”, afirmou o gestor.

O gerente de fiscalização Magno da Silva Pinto explicou que também foi verificada a reposição de dinheiro nos caixas eletrônicos, funcionamento dos mesmos, assim como o recebimento de boletos vencidos e atendimento em geral. “O número de reclamações é muito alto, por isso acompanhamos desde o atendimento até o funcionamento dos caixas eletrônicos. Uma vez que o cliente ou o usuário, não pode ser prejudicado com tais irregularidades”, explicou o gerente.

Onde denunciar

Em caso de denúncias, o cidadão deve fazer contato com o Procon por meio do Disque Procon 151 e também com os  núcleos nos  endereços disponíveis no link: https://procon.to.gov.br/institucional/nucleos-regionais/.  Para formalizar a denúncia é preciso checar bem as informações, apresentar comprovantes e fotos para subsidiar as ações de fiscalização.