Educação

Foto: Elias Oliveira

Alunos do primeiro ou segundo ano do ensino médio regular ou do ensino técnico integrado de escolas públicas de Tocantins, Acre, Amapá, Alagoas, Pernambuco, Roraima e Sergipe têm nova oportunidade para se candidatar a uma vaga na quinta edição do Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM). As inscrições se encerraram no último dia 9 para todo o Brasil, mas foi prorrogada nesses estados. Quem estuda nestas localidades e quiser representar o Brasil no Mercosul durante dois anos deve elaborar um projeto com a orientação de um professor e inscrevê-lo até 30 de setembro.

O programa é promovido pela Assessoria Internacional do Ministério da Educação, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e o Instituto Internacional para o Desenvolvimento da Cidadania (IIDAC), e tem como objetivo estimular o protagonismo juvenil, por meio da implementação de projetos que tenham como foco fortalecer os jovens nas escolas e que visem minimizar problemas do cotidiano escolar.

Os projetos apresentados passarão por uma seleção inicial e os melhores serão divulgados no portal do PJM. Em seguida, será realizada uma eleição nacional e todos os jovens matriculados no ensino médio poderão votar e eleger seus representantes. Os mais votados representarão o Brasil durante o encontro internacional e durante qualquer evento ou encontro nacional e internacional. Na primeira edição foram 81 jovens concorrendo as 27 vagas; já na última, concorreram 108 jovens e 32.310 participaram indiretamente elegendo seus representantes.

O projeto a ser apresentado deverá contemplar a realidade local do estudante e propor ações que estimulem a participação juvenil no ambiente escolar, priorizando o desenvolvimento de um trabalho coletivo e cooperativo. A intenção é que a instituição de ensino seja um espaço democrático onde os jovens possam expressar seus anseios e sugerir melhorias que facilitem sua aprendizagem e convivência, fortalecendo a cidadania e aproximando-os dos princípios desenvolvidos no projeto, como a democracia, a inclusão, a identidade latino-americana e os direitos humanos.

Parlamento

Desde que foi criado em 2008, já foram realizadas quatro edições do Parlamento Juvenil do Mercosul, com seleções a cada dois anos. Até 2014, participavam do PJM jovens da Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Bolívia e Colômbia. Na última edição 2016-2018, participaram apenas jovens dos países membros do Mercosul. Foram 27 jovens brasileiros, 26 argentinos, 18 paraguaios e 19 uruguaios. Os encontros são realizados na sede do Mercosul em Montevidéu em uma data que coincida com a reunião do Parlamento do Mercosul (Parlasul), já que também ocorre uma reunião conjunta entre o PJM e o Parlasul.

O mandato dos jovens parlamentares tem duração de dois anos. Durante esse período, participam do encontro internacional para elaboração de uma declaração com propostas e recomendações sobre o tema O ensino médio que queremos, além de outros encontros nacionais. Trabalham ainda na proposição e implementação de projetos voltados para a comunidade escolar, sempre tendo como norte as temáticas do PJM: gênero, participação cidadã, integração regional, direitos humanos, jovens e trabalho e inclusão educativa.

Envie seu projeto para ai@mec.gov.br.

Acesse o regulamento e o caderno de orientações. (Ministério da Educação)