Conexão Tocantins - O Brasil que se encontra aqui é visto pelo mundo
Polí­tica

Foto: Cleober Taquara

Durante reunião realizada na tarde desta última quarta-feira, 24, na Câmara de Palmas, os vereadores criticaram a concessionária de saneamento do Estado, a BRK Ambiental. A empresa não compareceu ao encontro que tinha como objetivo debater soluções para os problemas que afetam os comerciantes da Praia das Arnos, na região Norte, e os moradores do setor Bertaville, que fica na região Sul da Capital.

“É uma falta de respeito uma empresa que tem tantos diretores não poder enviar uma pessoa, um representante para participar da reunião. Enquanto isso a população é quem paga pelos problemas, e paga caro pela tarifa de esgoto”, disparou o vereador Filipe Fernandes (PSDC) logo no início da reunião.

Na ocasião a presidente da Associação dos Comerciantes da Praia das Arnos, Elizabeth Ferreira da Silva, também criticou a ausência de representantes da BRK e contabilizou os prejuízos causados pelo problema do esgoto na água da praia, que tem afetado o comércio local. “Somando todos os comerciantes, acredito que já perdemos mais de R$ 450 mil só este ano, o cliente sumiu e já temos comerciantes fechando seus estabelecimentos”, afirmou.

Sobre essa questão do esgoto, a bióloga do Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), Bruna Almeida, destacou que a Praia das Arnos não deveria ter sido instalada naquele lugar. “São uma série de fatores que não favorecem o local. Falando tecnicamente, a praia não é ideal para banho”, explicou.

O presidente da Casa, vereador José do Lago Folha Filho (PSD), criticou o posicionamento do Naturatins e ressaltou que a região Norte da cidade estava carente de uma área de lazer para a população e que o local recebeu todas as licenças necessárias para sua instalação. “Não aceito falarem que a Praia das Arnos está no local errado, porque errados estão os órgãos do Estado, que não fiscalizam e multam a BRK Ambiental”, defendeu.

O líder da Câmara também criticou a empresa por não comparecer na reunião e destacou que a concessionária de saneamento nunca respeitou os Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) que foram acordados com a Justiça e a comunidade. 

Outros apontamentos

Sobre a situação do mau cheiro no setor Bertaville, César Cruz, presidente da Associação de Moradores afirmou que há anos espera uma solução para o problema. “A nossa situação é insuportável. Há muito tempo convivemos com esse mau cheiro e acreditamos que o problema está na forma de tratamento e não no esgoto em si”, destacou.

Para a defensora Pública Letícia Amorin, a BRK Ambiental tem se omitido de prestar esclarecimentos para a sociedade. “Desde 2015 atendemos as reclamações da população do setor Bertaville e estamos trabalhando. As respostas que recebemos são evasivas e a empresa não oferece uma solução. Encontramos dificuldades para resolver essas demandas dentro e fora da esfera judicial”, pontua.

O vereador Tiago Andrino (PSB), presidente da Comissão de Administração Pública, Urbanismo e Infraestrutura Municipal, que presidiu a reunião, afirmou que vai convocar uma audiência pública dando um prazo de 30 dias para que a BRK Ambiental possa comparecer e prestar os esclarecimentos necessários às autoridades e sociedade palmense.

Extraordinariamente, a reunião desta quarta-feira foi realizada em conjunto com as comissões de Políticas Públicas Sociais, e de Cidadania, Direitos Humanos, Meio Ambiente e Ética, cujos respectivos presidentes Filipe Fernandes e Laudecy Coimbra (SD) compuseram a mesa.

Na oportunidade também estiveram presentes os vereadores Lúcio Campelo (PR) e Léo Barbosa, além de representantes da Agência de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos de Palmas (ARP).